Combinações

Essa combinação aparentemente sem sentido de Doritos sabor queijo nacho com vinho tinto italiano me pega de um jeito desconhecido. Tem a coisa da intensidade, de encher a boca inteira, de descer pela garganta com presença.

Esse gosto pela comida ordinária e pela bebida sofisticada, pequenos prazeres viciantes que me fazem lembrar por que estou aqui. Apesar de tudo, estou aqui, e cada vez mais aqui, sem ainda entender direito que, na eterna busca pelo que preenche, já me encontrei.

No ordinário gesto de se jogar no sofá e ver tevê. No extraordinário ato de me jogar em você por inteiro. Sentir essa eletricidade rara viajar dos pés à cabeça. Dançar pela sala a décima versão daquela música que a gente não cansa de ouvir. Falar sobre a importância das coisas felizes e tristes que nos tiram do tédio da existência. Contar e recontar como sabíamos desde o começo de que isso tudo iria funcionar. Mesmo que seja uma surpresa toda vez que acontece, a gente já sabia.

De repente, todas essas combinações desconexas fazem sentido, se encaixam, se organizam como as peças de lego que você falou outro dia. Como uma harmonização fora do comum de Doritos sabor queijo nacho com vinho italiano.