O Boticário, parada LGBT e evangélicos

Recentemente as redes sociais viraram um palco de guerra entre os evangélicos (homofóbicos) e os gays (e todas as pessoas que acham esse tipo de racismo um absurdo em pleno seculo XI). Tudo por causa de uma campanha publicitária divulgada pela “O Boticário”, onde ela demonstra em um vídeo de 30 segundos toda a forma de amor, ou seja, não tem nenhuma cena de sexo explicito homossexual no comercial.

Em decorrência desse fato, os evangélicos (Silas Malafaia e Marco Feliciano) travaram uma árdua batalha na rede mundial de computadores, para combater esse tipo de “crime”, que segundo eles, está denegrindo e acabando com a imagem da família tradicional brasileira.

No meio de todo esse alvoroço, eis que surge maior parada LGBT brasileira em SP, onde por motivos de revoltas, os homossexuais protestaram de diversas formas, como uma transexual se exibiu de Jesus crucificado, e no meio desse emaranhado de fotos, apareceram varias outras falsas imagens com cenas obscenas, denegrindo a imagem de Jesus cristo, como um gay enfiando um crucifixo o cu, entre outras. Segundo alguns sites, varias dessas imagens são falsas, e que não aconteceu na parada LGBT, foram colocadas la propositalmente parar gerar algum tipo de revolta aos brasileiros que até então ficaram imparciais nessa historia.

Eis que os lideres evangélicos declaram guerra aos gays, que chegaram até o Plenário da Câmara dos Deputados e protestaram contra esse tipo de abuso (segundo eles). Diante disso centenas de videos a favor e contra começaram a circular pela internet, forçando os brasileiros a escolherem algum lugar pra ficarem nessa disputa.

Ao meu ver, acho ridículo alguma religião interferir na sexualidade do ser humano, pois somos livres para escolhermos para quem podemos sentir prazer/gostar/amar, ou seja, é impossível forçar uma pessoa a ir contra a sua vontade própria. É um descaso cometido pelos evangélicos contra os gays e sua opção.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.