Pokemon Go e os perigos do mundo real

É uma cilada, Bino!

É muito bom ver a Nintendo de volta. Depois de anos em queda, perdendo mercado para tantos outros fabricantes, a gigante japonesa conseguiu respirar novamente.

Depois de apenas três dias do lançado, seu mais recente sucesso, Pokemon Go, já era um fenômeno mundial, adicionando nada menos que 7.5 bilhões de dólares ao valor de mercado da empresa.

O game em realidade aumentada possui o DNA característicos de produtos que chacoalham a sociedade, causando forte ruptura nos padrões de comportamento e economia.

Graças ao game, que possui uma dinâmica que obriga os jogadores a saírem de casa para caçar seus bichinhos virtuais, os jovens finalmente voltaram a explorar as ruas, redescobrindo a cidade e se tornando mais ativos.

Os jogadores estão se movendo tanto, que um elevado número de usuários está relatando dores musculares nas pernas, um efeito acidental, mas bem positivo.

Outro efeito observado é o uso do game por empresas, utilizando itens do jogo — pagos com dinheiro real — para atrair Pokemons mais raros e, com eles, toda uma clientela de caçadores.

Mas nem tudo são flores nas terras da realidade aumentada. Ao tirar de casa os jovens criadores de Pokemons e guiá-los para uma verdadeira retomada das ruas — o que também é bacana — o game também acaba expondo seus jogadores a perigos que não possuem nada de virtual.

Assim como as empresas conseguem atrair clientes utilizando itens do jogo, assaltantes também estão utilizando dessa estratégia para atrair suas vítimas. Existe uma verdadeira onda de crimes que acompanham o sucesso de Pokemon GO, e até um cadáver já foi encontrado por um jogador enquanto procurava pelas criaturas virtuais.

Outro perigo que vem crescendo é de adultos que abusam de crianças e adolescentes. Alguns grupos no Reddit estão ensinando/incentivando adultos a baixarem o jogo e utilizá-los como artifício para aliciar menores de idade.

Então aqui vão algumas dicas para aproveitar seu jogo — quase — livre dos problemas do mundo real:

  1. Pare de andar para capturar seus Pokemons: Existe uma série de incidentes relatados sobre pessoas que bateram em árvore, caíram em buracos ou tropeçaram enquanto tentavam capturar seus bichinhos.
  2. Evite locais muito isolados, podem ser armadilhas: Pessoas má intencionadas podem atrair jogadores para roubar dinheiro e aparelhos celulares. Se o local for muito isolado, preste muita atenção e observe quem pode estar em volta.
  3. Crianças, diga para seus pais onde estão indo: O game pode levar os jogadores até locais inesperados, guiando a aventura para cada vez mais longe de casa. Se você é menor de idade, fale para seus pais onde estão indo, assim se você desaparecer eles sabem onde começar a procurar.
  4. Não jogue se estiver dirigindo: Sério, não.
  5. Evite sair tarde da noite (muito menos sozinho): Vi alguns amigos dizendo que estão saindo de madrugada para caçar Pokemons. Se expor desse jeito, com a atenção numa tela e no meio da madrugada, é uma ideia bem ruim.
  6. Evite falar com estranhos: Este é um conselho que parece fora de moda, mas se você tem filhos, é preciso relembrá-los para tomar cuidado com estranhos e identificar comportamentos perigosos, principalmente em relação aos adultos.

O jogo é divertido e vale a pena entrar na brincadeira, mas os acontecimentos recentes mostram que alguns cuidados precisam ser tomados.

Se você tem um amigo que joga, compartilhe este texto com ele. Se conhece pais de crianças que estão na brincadeira, envie as dicas e alerte para os possíveis perigos. A ideia não é fazer ninguém parar de jogar, mas garantir que a diversão não torne-se um problema.

Obrigado pela leitura!

Se esse texto ressoou em você, não esqueça de compartilhar e apertar o coração aqui embaixo. Significa um monte pra mim e faz com que o texto possa ajudar também outras pessoas. :)

Recomende e Siga!

Se você quer ler outros textos meus, não esqueça de assinar minha newsletter, as publicações saem às sextas.

Se você ainda não me acompanha pelo PapodeHomem, escrevo uma coluna quinzenal por lá, não deixe de conferir.