Eu me motivo, eu me permito, eu insisto!

Hoje eu só queria escrever, deixar uma mensagem, deixar algo de relevante e que pudesse contribuir para o algo maior que eu busco, busco, busco, mas ao mesmo tempo pareço me afastar, afastar-me e me afastando estou…

Abro o spotify, dou play na lista de MPB (#recomendo) e a primeira música que começa a tocar na ordem aleatória? O mundo é um moinho by Cartola. PÁÁÁÁÁÁ, tiro certeiro bem no fundo do meu peito. A leve canção proclama pesadamente: “Preste atenção o mundo é um moinho. Vai triturar teus sonhos, tão mesquinhos. Vai reduzir as ilusões a pó.”; e após escutar atentamente esse trecho o que me veio à cabeça?

Simples, o que vou fazer para que o mundo não se torne o meu moinho, mas sim a minha catapulta para arremessar os meus sonhos para o céu e vê-los decolar? O que estou fazendo?

Planejar dá gosto, dá um fogo, dá uma ansiedade de ver nossos sonhos se tornando realidade. Isso a gente faz com maestria na primeira semana do ano, vide a sua última semana, mas e como estamos hoje? Como andam os tantos planos que você já traçou para 2017? A dieta que era para começar segunda-feira, você já postergou para a semana que vem ou só para depois do carnaval? O mundo já se tornou seu moinho e está fazendo você desistir, já, de tudo que você aspirou para um ano novo?

Se a resposta é sim, PAROU, STOP, SCHEINT, PARAR AHORA! Planejar é preciso, eu mais do que ninguém considero essencial esse fator para qualquer âmbito da vida, mas sem execução, sem correr atrás, do que valerá tanto planejamento? Tantos sonhos? Papéis e lápis traçando seu futuro, do que adiantaram? Apenas para seguir o protocolo de ano novo, vida nova, aspirações novas?

  • apirAÇÕES novas! AÇÕES! GO! REAJA! FAÇA! JUST DO IT!

Eu disse, só queria escrever, deixar uma mensagem, deixar algo de relevante e que pudesse contribuir para o algo maior que eu busco, busco, busco e estou alcançando, aproximando-me pouco a pouco me aproximando…