Con’as é o que vocês todos são!

Sou Charlie, Larry Flynt, Tim Minchin e George Carlin entre outros…

Cambada de cobardes, FDP’s e maricas! Todos, todos vocês. Primeiro porque se calaram, se calam e se calarão. Depois porque ou não sabem o que dizem ou como o dizer, e pior ainda, repetem aquilo que os outros dizem ou o que as modas ditam!

Muito, mas muito antes de haver imberbes bárbaros e medievais a desatar aos tiros a tudo o que mexe em nome de uma religião já havia jornais e revistas e outros programas controversos, provocativos e “incendiários”. Lembro uma, famosa por o dono, editor chefe e fundador ter levado um tiro de um “fervoroso” cristão, que o deixou paralítico: A Hustler de Larry Flynn.

http://en.wikipedia.org/wiki/Larry_Flynt

É, desde sempre, assim como outras, uma revista digamos, sui generis. Há quem não goste? Quem se arrepie ou se enoje? Há, claro. Assim como há revistas que firam a susceptibilidade de cristãos, muçulmanos, judeus, amantes dos animais, vegetarianos, ecologistas ou qualquer outro grupo de cidadãos.

Onde houver um mercado para fazer humor, escrever textos ou artigos de opinião, informar, entreter ou divertir, haverá sempre alguém que queira preencher esse vazio, e haverá muito provavelmente que se sinta ofendido.
A mim ofendem-me as revistas de caça, de tauromaquia, religiosas, etc, etc.

Isto ofende-me pra caralho!

Mas o que eu não faço, enquanto cidadão, é desatar aos tiros porque essas revistas ou jornais existem e publicam aquilo que lhes dá lucro. Apenas posso reclamar, e é tudo aquilo que como cidadão a mim e a vocês é exigido, sejam pretos, brancos, amarelos, muçulmanos, judeus, naturistas ou ecologistas… é que se juntem e digam, reclamem:

Esta publicação vai contra as nossas crenças, contra a nossa cultura e modo de vida.

E é tudo o que se pede a autoridades e políticos, é que façam essas publicações serem vendidas “embaladas” em capa neutra.

E isso não é culpa do Charlie… É do Hollande, da Merkel e do Netaniahu…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.