Se um dia eu pudesse pensar num modelo de governo ideal, certamente ele usaria as lentes do contexto.


A ótica seria outra. teria que reconfigurar tudo. Não mais baseado por papel. O foco seria considerar todas as dimensões que se relacionam.
 
 Basicamente, seriam 3 Ministérios e 9 Secretarias.


Ministério da Liberdade

Secretaria de “Ir e Vir”
É a Secretaria focada no contexto co-habitável, “onde” usufruímos junto com outros. Envolveria o papel mais pragmático das Polícias, Detran, Limpeza Urbana, Luz, água, Obras Urbanas, Defesa Civil. Se acontece nas ruas, é com esta Secretaria.

Secretaria de “Sentir e Compartilhar”
Envolveria o papel de quem trabalha em situações críticas como médicos, hospitais, medicinas “alternativas”, psicologias, psiquiatria, etc. Tem a ver com humanidade, sensibilidade, empatia.
 
Secretaria de “Falar e Ouvir”
Envolveria o papel de proteção à expressão que hoje são dos tribunais, juizados, direito em si, imprensa, movimentos, grupos organizados.

Ministério da Identidade

Secretaria da Aprendizagem
Inversão do foco. Envolveria o papel do MEC, Cultura, Artes, Filosofia, Reflexão, Conscientização e Auto-consciência.
 
Secretaria da Expressão
 Trabalha em parceria com a Secretaria “Falar e Ouvir”.
 Aqui, o papel é garantir a voz. de qualquer lugar, de qualquer pessoa.
 
Secretaria da Realização
Envolveria o Papel de muitas ONGs, Cultura, Leis de Incentivo e fiscais. Quanto mais produção cultural houver, melhor.

Ministério da Prosperidade

Secretaria do Valor
Envolveria o papel do Banco central, Fazenda, todo o cenário econômico e financeiro. Mas com o foco em geração de valor.
 
Secretaria da Mudança
Planejamento, disrupção, novos modelos, compromisso com o novo.

Secretaria do Legado
Somos feitos do que nos trouxe até aqui. Compromisso com o que deixamos. Em três esferas: Identidade, Liberdade e Prosperidade.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.