Melhor amiga

Dona Sara sempre amou animais. Seu primeiro foi uma galinha, quando tinha 3 anos. A Lili. Ela ficava no quintal de casa. Lili deixava Sara fazer o que ela queria. Apertar, abraçar, dar beijinho. Sara chorou muito, quando descobriu que no Natal tinha comido a coxa da Lili. O segundo foi o Pimpo. Um gato. Sara já era adolescente, quando ele veio. Pimpo sempre dormia em seus pés. Sara começou a flertar com João, seu vizinho e em uma dessas trocas de olhares deixou o portão aberto e Pimpo fugiu. Nunca mais voltou. Então, Sara se casou com José, outro vizinho. Tiveram três filhos e adotaram três animais, uma tartaruga, a Nina, um passarinho, o Lúcio e o Louro, o papagaio. Os filhos cresceram e se mudaram. Depois de alguns anos, o Lúcio pegou doença e morreu. A Nina foi dada para a primeira neta de Sara e foi morar longe. Seu José se separou de Sara e foi com o Louro para um outro bairro. Dona Sara ficou sozinha. Encontrou então Helena, uma cachorrinha vira lata, velhinha que estava na rua de casa. Dona Sara deu a Helena o que comer e o tratamento apropriado, estava cheia de vermes. Uma cuidava da outra, todos os dias. Até que Dona Sara passou mal e foi pro hospital. Helena não tinha lugar pra ficar. Nenhum filho queria ficar com ela. Então, Helena foi esquecida na rua novamente. Ficava embaixo de uma ponte. Quando Dona Sara melhorou de alguns meses, a primeira coisa que perguntou foi “Aonde está Helena?!” . Seus filhos não sabiam que a cadela significava tanto. Eles foram procurá-la. Até que a encontraram, mas Helena que estava com os ossinhos aparecendo não queria se mexer e rosnava quando alguém se aproximasse. Então, dona Sara ainda um pouco debilitada, decidiu ir até o lugar e buscar a cachorra. No começo, Helena olhou com um olhar meio desconfiado, mas foi bem rápido. Ela se levantou e foi ao encontro de sua dona, a Dona Sara. Depois daí as duas não se desgrudaram. Faziam tudo juntas. Comiam e dormiam. Até deram o último suspiro juntas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Anônimos de Costas’s story.