Como o trabalho moderno pode ajudar a mobilidade urbana

Quando surgiu a Revolução Industrial, as indústrias precisavam de um grande contingente de mão de obra, literalmente a mão, pois naquele tempo as pessoas utilizavam somente sua força física para efetuar seus trabalhos.

Após longas jornadas as pessoas voltavam para suas casas para descansar e no dia seguinte repetir o ritual de se deslocar ao trabalho, trabalhar e então volta para a casa.

Hoje no século 21 a realidade é bem diferente, as indústrias continuam empregando muitas pessoas, porém com a evolução urbana, nasceram diversas empresas nos mais variados setores da economia, na qual sua maioria constitui-se de PME’s (pequenas e médias empresas).

O mais engraçado de tudo isso é que todos os dias vejo profissionais cujo o trabalho não depende de uma máquina como na indústria, mas sim as vezes de um computador com internet ou um telefone.

Já parou para pensar quantas pessoas se deslocam diariamente através do ineficiente transporte público brasileiro ?

Acredito que certas profissões não necessitam da sua presença física no trabalho, pois seu trabalho pode ser desempenhado de qualquer outro lugar, sem necessariamente ter que acordar cedo para deslocarmos ao trabalho.

O home office ou tele-trabalho consiste no trabalho de forma remota, não necessariamente em casa, pode ser em um espaço coworking, um escritório alugado, um bar, tantos lugares.

Neste caso vejo o home office não somente como um benefício para o empregado e empregador, mas também para a mobilidade urbana, cujo os números só pioram, pois não podia ser diferente, com um transporte público ineficiente e o governo incentivando as indústrias automobilísticas nos últimos a venderem seus carros com IPI baixo o resultado não podia ser diferente,

Acredito que se o nosso governo incentivasse as empresas a adotar essa metodologia do trabalho, não necessariamente de forma integral, pois acredito que o trabalho presencial também possui sua importância, poderíamos reduzir um grande contingente de pessoas que acordam cedo para ir ao trabalho e encarar o típico ônibus cheio e o trânsito parado.

Claramente esta não é a solução para o problema da mobilidade urbana, porém acredito que esta é uma das inúmeras medidas estratégicas do governo para melhorar a vida da população em geral durante sua locomoção, seja para trabalho ou lazer.

Links de Apoio

http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/110525_comunicadoipea94.pdf

http://www.gohome.com.br/afiliados-home-office/