Backup e Restore — Coisas que você precisa aprender a ter e fazer.

Antes de tudo, deixe eu lhe perguntar: se aquelas fotos, tiradas naquelas férias, com entes queridos que já se foram, se perdessem. Você teria uma outra cópia guardada?

Backup

Salvar para não chorar

A maioria das pessoas não se dão conta do mundo onde vivemos hoje. Tudo está conectado, tudo está à nossa mão. Por isso, nos distraímos e esquecemos de tomar atitudes, que deveriam ser “padrão” em nossa vida.

Trabalho com informática, faz uns 6 anos. Nos últimos 3, em uma empresa (Allhardware Informática), com montagem e manutenção de computadores. Trabalho com crise: “meu computador não liga mais”; “minha internet não funciona”: “meu computador está cheio de propaganda, quando navego”; “perdi meus arquivos”.

Este último é o mais grave que se pode acontecer. Sim, o mais grave. Uma placa-mãe com defeito, pode ser trocada. Uma memória RAM pode ser trocada. Uma fonte pode ser trocada/reparada. Mas aquela foto/video do seu filho(a) conhecendo os avós ou aquele vídeo com a presença de um parente ou amigo, pela última vez nesse mundo, não podem ser refeitos.

Por isso a importância de ter uma cópia de segurança (backup) desses dados. Na verdade, não só ter uma cópia mas, ao menos, 3 delas. Em mídias diferentes. Do que adianta eu ter uma cópia no meu HDD externo, se minha casa/trabalho sofrer uma queda e/ou sobrecarga de tensão, fazendo meu computador e HDD externo serem danificados? Se além dessas cópias, você tinha uma na nuvem ( Google Drive, Dropbox e etc), vai se sentir muito mais aliviado.

Restore

Para quem já faz backup e utiliza softwares para automatizar/comprimir seus dados

Aposto que nunca se preocupou com isso, não é? Você até faz o seu backup, atualiza ele ou insere novos dados, mas nunca se preocupou de checar se a restauração dos arquivos vai funcionar corretamente. Que o backup não está corrompido ou contendo erros.

O processo de restauração é igualmente importante. Não adianta eu ter um backup dos meus arquivos, se na hora H, eles não são recuperados (ou só uma parte deles), pois está corrompido.

Já aconteceu comigo. E recentemente.

Iria fazer a reinstalação do sistema, com a cópia dos arquivos pessoais e de trabalho, do cliente. Ele usa o computador para trabalhar, tirar nota fiscal eletrônica. Reinstalei o sistema e instalei o básico para o funcionamento da máquina (Java, navegadores, leitor de PDF, LibreOffice e etc). Instalei o Emissor de NF-e. Busquei o backup dos dados e ao tentar inserir no programa, recebo uma mensagem de erro. O arquivo não poderia ser utilizado para a restauração das notas e etc.

Eu tinha um outro backup do arquivo? NÃO.

Em casa de ferreiro, espeto é de pau. Mas não nesse caso. Como o sistema era delicado, com informações que poderiam gerar um prejuízo financeiro, fiz um CLONE do sistema. Então podendo, assim, recriar o backup do Emissor NF-e e salvar os dados do cliente. Fazer um clone do sistema e conseguir fazer ele funcionar em outra máquina, é uma garantia de 98% de sucesso (não existe 100% em nada da informática) na recuperação de dados. Graças a essa tipo de backup, o cliente saiu satisfeito e com tudo funcionando como deveria. E esse tipo de backup, ao meu ver, só se aplica nesse caso. Você não precisa clonar seu sistema para guardar o que lhe é mais importante.

Finalizando

Agora você já deve estar fazendo upload das suas fotos/arquivos na nuvem, não é?

Não deixem de fazer backups e de testar eles. No momento mais crítico, mais desesperador, ter essa carta na manga vai lhe poupar um stress e uma tristeza enorme. Fora o seu emprego, se for o caso.

E não esqueçam: backups em VÁRIAS MÍDIAS diferentes (em HDDs, DVDs, nuvem, Pendrives e etc.)

Alexandre Mendes — Técnico em Informática (04/2016)