Para que (e a quem) serve o atual jornalismo de games brasileiro?
Felipe Pepe
44754

Ótimo artigo! Muito preciso nas colocações.

Talvez seja pessimismo da minha parte mas não acho que exista, ou vá existir, aqui no Brasil um público que queira se aprofundar além do lugar comum em um futuro que não seja muito distante. É bem isso que você falou: releases e mais releases e quando estão num dia bom, uma pouco de nostalgia.

Mesmo em fóruns de entusiastas não se vê muita vontade de entender mecânicas ou a história da mídia. Até jogadores que passam o dia inteiro discutindo sobre videogames não conhecem os criadores além dos rockstars, como o Kojima, e as discussões se limitam a gráficos, empresas do coração e tópicos constantes sobre Chrono Trigger e Ocarina of Time.

Acho que o desinteresse nos bastidores e na arte dos jogos é muito generalizado. Quando até os hardcore não se interessam, fica difícil ter muita esperança.

Imagino que você tenha tido resultados melhores em um espaço controlado, como professor. Mas sem valer nota, não acho que o público aqui vai se interessar sobre Elder Scrolls Arena. Torço para estar enganado, claro, mas acho que o público para isso está definitivamente lá fora.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.