O plano de Bill Whittle

Bill Whittle (Nov, 2016 — David Horowitz Restoration Weekend, Palm Beach, Florida)

Resumi para vocês um pronunciamento sensacional do Bill Whittle feito dois dias depois da eleição do ano passado.

Acredito que tenha sido o primeiro do Brasil a popularizar Whittle e desde então ele só melhora.

Concordo com cada linha:

Tenho dado palestras em escolas e universidades. Todos os dias o número de alunos que se dizem socialistas ou progressistas aumenta. Todo dia o Partido Democrata cresce e o Partido Republicano diminui.

A eleição de Trump não vai parar essa tendência, pelo contrário, vai acelerar. Se vocês pensam que a esquerda vai sentar e aceitar o resultado pensando “bem, isso é a democracia, vida que segue”, estão muito enganados!

Vocês vão ver a esquerda contra-atacar com mais força do que nunca, eles vão começar a doutrinar crianças já no Jardim de Infância. Eles não vão desistir. Eles não vão descansar.

Estávamos a caminho do “paraíso dos trabalhadores” quando o povo americano teve a audácia de dizer “não!” e eles vão se vingar. Acredite em mim, vocês não fazem idéia do que virá como reação.

Temos um partido republicano cada vez mais velho e um partido democrata cada vez mais jovem. Como podemos garantir que esta eleição não foi o último suspiro deste grande país?

Vamos ser sinceros, o futuro pertence a eles. Os números estão a favor deles e só melhoram para eles. Temos uma janela de oportunidade, ganhamos tempo, se conseguirmos usar essa chance para mudar essa situação em relação aos jovens poderemos fazer dessa vitória algo permanente.

Eleitores do Sanders "explicam" o socialismo

Temos entre 80 e 90% dos jovens se identificando como socialistas nas escolas e universidades hoje. Como isso aconteceu? Como deixamos isso acontecer? Nossas idéias são melhores, como eles conseguiram?

A esquerda tinha um plano desde os anos 50. Eles tinham um plano, eles investiram bilhões no plano, eles foram fiéis ao plano, e eles conseguiram. Eles sabiam que o foco é o jovem, basta ganhar os jovens e esperar.

Eles se infiltraram nas universidades de jornalismo e começaram a formar radicais de 18 anos de idade. Estes radicais cresceram e foram fazer os jornais e ensinar outros jovens jornalistas a serem também radicais. A grande lição do jornalismo que ensinaram foi: a “verdade” do fato não importa, é uma coisa menor, o que importa é a “verdade” maior, o caminho para o paraíso socialista. E é só isso que importa.

Agora eu quero saber: qual é o nosso plano? Não temos. Nunca tivemos. Reagimos aqui e ali, mas de uma forma descoordenada e aleatória, e depois nos recolhermos. Precisamos de um plano.

A esquerda tinha um plano de 50 anos, eu tenho um plano de 15 anos. Simples e com apenas cinco pontos. Se você não pode esperar duas gerações para conquistar o país, vamos perder. Em todos os anos de Ronald Reagan, quando parecia que tínhamos vencido, eles nunca desistiram, nunca abriram mão do plano. Vamos lá:

  1. Conquistar os jovens

Eles precisam entender que a liberdade é boa e é cool.

Eles precisam saber convencer os amigos. Jovens conservadores não precisam saber apenas que estão do lado certo, eles precisam saber como explicar para outros porque o nosso lado é o certo.

Eles precisam ver vídeos simples e bons que mostrem a eles o que falar com os amigos. Eles precisam ser surpreendidos com questões que nunca ouviram. Vocês não têm idéia de como as convicções socialistas dos jovens são frágeis e como muitos são curiosos e abertos a novidades que desafiem o que pensam.

Precisamos treinar nossos jovens conservadores com vídeos para que eles conquistem os amigos com a língua deles e estes os moderados. Eu nunca conheci um socialista que eu não convertesse em 15 minutos.

Pare de achar que um político vai resolver isso, não vai.

2. Conquistar a cultura pop

A cultura popular não é apenas mais um item entre vários, ela é o mar em que todos os outros temas nadam.

Ninguém vai nos seguir se não soubermos falar a língua das pessoas comuns. Obama foi aos talk-shows, ele comentava sobre minisséries, baixava músicas no iPod, era conectado com a população.

Precisamos fazer bons filmes, musicais, mas com valores conservadores. A cultura pop coloca valores na cabeça das pessoas fazendo filmes bacanas sobre vampiros, guerras espaciais, a política está escondida. Quando se faz um filme e o público consegue sentir o cheiro da agenda política, ele falhou. Tem que ser invisível como a esquerda faz.

3. Vencer a velha imprensa

A imprensa é hoje a instituição moralmente mais corrupta do país e ela não tem salvação.

É a organização mais radical de esquerda dos EUA. É o departamento de publicidade da esquerda americana. O lado bom é que ela está morrendo bem na frente dos nossos olhos.

Os jovens não acompanham mais nenhum desses veículos. Goste ou não, os jovens hoje se informam pelas redes sociais, pelo YouTube, e isso é maravilhoso para nós. Não precisamos arrumar bilhões para montar um canal de TV, agora é ter centenas, milhares de canais no YouTube com jovens falando com outros jovens como é o conservadorismo.

No último 11 de setembro, vimos Hillary desmaiar e ser amparada por seguranças e só soubemos disso porque pessoas físicas gravaram com seus celulares, temos milhões de repórteres nas ruas hoje com seus celulares e eles já estão acabando com a imprensa, ela está morrendo. A CNN nunca mostraria essa cena se não já não estivesse se espalhando pela internet.

4. Criar um novo tipo de político

Temos que encontrar políticos que não vejam a política como carreira mas como um dever, quase como serviço militar, algo que você faz pelo país por um tempo e depois vai embora para casa cuidar da vida.

Eu defendo que a lei mais importante que precisamos hoje é acabar com qualquer tipo de reeleição, todo cargo político tem que ser de apenas um mandato e pronto.

Meu ideal de político é quem não quer ser político, é gente como eu e como você que tem vida, carreira, família.

Precisamos acabar com esse colégio de cardeais que vive em Washington e é tão autocentrado que se acha no direito de dizer a nós como devemos tocar a nossa vida. Quer tirar dinheiro da política? Sem reeleição, grande parte do dinheiro some automaticamente.

Só pessoas de fora da política hoje têm a independência para limpar Washington e sua burocracia.

5. Cuidar de todos

Sei que esse é o ponto mais polêmico, mas ou temos um plano que inclua todos ou não temos um plano.

Aquele cidadão que está protestando na rua e sendo manipulado pela esquerda não pode ser esquecido por nós, precisamos libertar cada um das garras da esquerda que diz que não estamos nem aí para ele.

Não podemos fugir de assuntos delicados, se há alguém na rua revoltado é também porque falhamos em mostrar como a liberdade é boa para ele e como a vida dele pode ser melhor se ele abraçar nossas causas e valores. Precisamos apresentar uma solução para ele. Não temos que para fazer programas governamentais, é preciso mostrar que a vida deles pode ser melhor com as nossas idéias.


Temos uma pequena janela de oportunidade e precisamos aproveitar. São quarenta anos de destruição da educação e da cultura, eles têm George Soros, Bill Gates, Warren Buffet, e nós temos… nós. Cada um de nós que prefere liberdade à escravidão pode ajudar a vencer essa batalha. Eu não quero voltar daqui a quatro anos para analisar uma nova derrota. Para ser honesto, eu nunca mais quero passar por essa experiência.

Cansei de ficar na defensiva, quero agora o outro lado com medo. É hora de partir para a ofensiva. O que aconteceu nessa eleição foi um milagre. Um candidato resolveu falar a verdade para o povo deu certo, funciona.”

Bill Whittle