Igual ao meu primeiro dia na Pré-Escola

Como tá na onda textão, resolvi escrever um pouco.

Quem me conhece sabe que eu sou muito mais de falar do que de escrever, mas hoje resolvi fazer diferente ou melhor, nos últimos tempos (anos, meses, dias e minutos) resolvi fazer e pensar diferente.

Todo mundo tá careca de saber que a gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa, como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.

Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali…

Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cheio.. foi sempre assim que eu fiz na minha adolescência quando eu saia pra andar de skate com meus amigos.

E foi exatamente isso que eu fiz, uma certa noite de terça-feira, resolvi que eu deveria fazer um intercâmbio e quando eu coloco algo na cabeça, véééiii somente a minha mãe e com muito argumento, consegue me convencer do contrário, mas dessa vez ela fez diferente, ela foi a primeira a me incentivar, então não pensei duas vezes, comecei a ver cursos, passagens, lugares que poucos conheciam, que eu tinha interesse de conhecer e que fosse fácil acesso e resumindo um pouco, vim parar na terra dos Kiwis, do Maoris, das filmagens do Senhor dos Anéis, exatamente do outro lado do mundo, há 15h de diferença da terra do carnaval.

Nas vésperas da viagem todo mundo me perguntava, como eu estava me sentido e eu respondia a mesma coisa para todos, não sei gente, não sei o que me espera lá, como é ou o que comem, mas na hora que eu dei tchau para o meu irmão, maaaaanoooooo a perna tremeu, foi exatamente igual no meu primeiro dia de aula que eu tinha 5 e ele 8 anos, ele foi me deixar na porta da escola e quando ele viu um monte de criança chorando, ele olhou pra mim e disse só uma coisa, NÃO CHORA! Eu engoli o choro pq ele me pediu e ele é mais Velho que eu né, já tinha passado por isso! E eu fiz a mesma coisa dessa vez, engoli a porra do choro e fui! Sem dar tchau, sem falar para alguns amigos, sem ver alguns deles (saudade de vocês poooh) mas enfim, chegando aqui foi aquele baita choque social, pois além de estar em um país, que é mais misturado que o meu, os costumes e a sociedade são muito diferentes. É difícil a gente se acostumar com o certo, com o limpo e com o correto! É exatamente igual quando uma pessoa sai da cidade e da poluição e chega no campo, já começa a espirrar com o ar puro, parece que o corpo rejeita, chegava ser engraçado a gentileza das pessoas, elas vivendo em um ambiente coletivo, os policiais não usarem armas, no Super Mercado você mesmo passar e pagar as suas compras e ninguém tá ali para conferir se você pagou ou não VIIIU! Se algo cai no chão, ninguém nem pega, nem para tentar achar o dono, pois todos têm a certeza que ele vai voltar e achar o que perdeu (aconteceu isso comigo na última sexta) mas da mesma forma que nós acostumamos com o fuso horário, nos acostumamos também com essas coisa e acabamos vendo o quanto é legal ser certo, correto, pontual, pensar naquilo que seja bom para todos e não somente nos meus interesses pessoais, querendo ganhar vantagem ou ser esperto, como fazemos no trânsito, nas carteirinhas de estudando e nas multas de trânsito, onde passamos os pontos para pessoas que não foram as responsáveis pelo ocorrido, mas enfim, não tô aqui pra falar disso!

Desde que cheguei estou morando em um hostel onde tem de TUDO, Árabe, Francês, Chileno, Colombiano, Coreano, Argentino, Canadense, Suíço, Iraquiano não é ato que ele se chama YMCA!!! Mas o mais engraçado foi ver pessoas, famílias e até estudantes morando aqui! Foi aí que resolvi ficar aqui e não procurar outra coisa como é de costume.

Tive pouco contato com Brasileiro, não que isso seja bom ou ruim, mas diferente como tudo, mais é muito legal vermos como nós somos unidos na necessidade. Talvez seja isso que está nos faltando.

O mais legal de morar em um hostel são as histórias, são árabes que já possuem as suas prometidas, latinos que estão se descobrindo, franceses ricos que são garis, casal de canadenses que chegou de Ferry que ja passou por toda a Ásia, Indiano que tá voltando para o seu país e deu o carro que tinha para o amigo vizinho, Coreano que ficará aqui por 5 anos e só pode voltar quando tiver acabado os estudos, sendo que deixou a namorada em seu país, mexicanos que fazem trabalho voluntário e vivem um dia de cada vez, Kiwis que estão passando uns dias por aqui, exatamente hoje veio um pessoal com uma família inteira e tá pensando em comprar um Motor Home e viajar o mundo com suas duas crianças. É engraçado escutarmos sonhos, realidades, conquistas e objetivos diferentes dos nossos, mas que talvez sirva, assim como uma roupa emprestada! Outra coisa engraçada de morar em um Hostel é que você aprende a ser pontual igual os Ingleses, tomar café igual um Kiwi, almoçar igual um asiático, cozinhar igual um francês e fazer sobremesas iguais um suíço. Outra coisa bacana é o papel de cada um na sociedade ou no ambiente que habita, todos fazem trabalhos voluntário e não pq é legal ou pq é bacana pra colocar no LinkedIn, mas sim pq você vive aqui, você come aqui e você tem um compromisso com o mundo! Se você não faz algo que possa contribuir com a sociedade como um todo, inclusive para aqueles que não tiveram oportunidades você é um completo idiota em não fazer nada e só saber reclamar! Isso eu escutei de um amigo Neozelandês, onde ele pegava bitucas de cigarro voltando da pista de skate para casa.

Outra coisa que eu estranhei muito são as crianças, como elas já possuem diversas responsabilidades, respeitam o espaço dos outros e não são nem um pouco mimadas, inclusive nos parques e em ambientes públicos a gente até esquece que tem criança por perto e elas brincam e se divertem como todas as outras, mas de uma forma que não atrapalha quem está por perto e todas a partir dos 7 anos de idade já vão para a escola sozinhas, até pq ninguém aqui atravessa fora da faixa e digamos que o país contribui com isso né. Eu inclusive tenho vergonha de atravessar fora da faixa, pois segundo eles, ninguém é culpado pelo seu atraso e ninguém tem culpa da sua pressa.

E quem sou eu para de descordar?!

Eu só sei que eu estou aqui faz 15 dias e tenho certeza que fiz a escolha certa, que a NZ é a minha cara e de muitos que eu amo e mesmo voltando para o meu amado Brasil voltarei bem diferente de como eu fui!

Agora preciso ir, pois aqui são mais de meia noite e eu preciso acordar cedo amanhã para a aula e eu não posso me atrasar! :)

#Vivendoforadacaixa

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.