Já parou pra pensar?

— Já parou pra pensar, Silvana?

— No quê?

— Neste quarto aqui… Quantas pessoas já vieram aqui… Quantas pessoas já se deitaram nesta cama e fizeram da vida o melhor momento para se viver…Quantas pessoas, será, que já olharam pra este espelho que estamos olhando agora, exatamente nesta posição em que estamos? Quantas pessoas tímidas já apertaram este interruptor do lado da cabeceira após terminar o sexo e quantas pessoas já fecharam aquela cortina por medo da privacidade mesmo estando em um motel tão bem qualificado como este? Já parou pra pensar quantas brigas teve aqui dentro deste quarto? Quanto desentendimento, quanto amor, quantos beijos, quantos toques e desejos? Quanta revelação? E primeira vez? Quanta primeira vez será que já teve neste quarto?

— Acho que poucas pessoas perdem a virgindade num motel.

— É, se for pensar bem eu acho que são poucas mesmo.

— A minha primeira vez, e a sua também, foi no carro. Lembra?

— Sim, é claro que eu me lembro.

— Então…

Silêncio.

— Silvana, já parou pra pensar quantas pessoas tiveram sua primeira vez dentro de um carro? Tantas possibilidades. No fim da rua, num beco, num estacionamento, na saída de uma festa, em frente a casa dos pais, no banco da frente, no banco de trás. Pra fora do carro, com a porta aberta, no capô…Imagina só quantas pessoas já perderam a virgindade dentro de um carro que já tinha sido usado para perder-se a virgindade? Tenho certeza que meu pai já transou dentro daquele fusca 71 dele e, sabe-se lá como conseguimos, nós também já transamos lá dentro. Tem casal que morre porquê transa dentro do carro fechado e a inalação do monóxido de carbono acaba levando a intoxicação… Já pensou morrer asfixiado? Que horror.

— …

— Silvana? Tá me ouvindo?

— …

— Já parou pra pensar quantas pessoas dormem depois do sexo?

— E você já parou pra pensar que você fala demais, Carlos?

— Já parou pra pensar quantas pessoas falam demais depois do sexo, Silvana?