Prototipação: alcance melhores resultados criando wireframes

First things first. Você sabe o que é wireframe?

O wireframe é o esqueleto da interface. Nele são demonstradas as formas da arquitetura do seu projeto. É um protótipo.

Os protótipos se encaixam em três categorias: baixa, média e alta fidelidade. O wireframe é apenas um protótipo, o que faz com que seja disponibilizado digitalmente mas sem programação inserida.

Alguns itens devem ser levados em conta para um wireframe de qualidade.

- Estrutura: mostrar como será feita a navegação e o cruzamento de informações pela interface;

- Jornada do cliente: verificar se o caminho percorrido durante a navegação corresponde com as expectativas do usuário;

- Layout: mostrar o posicionamento de cada item e elemento nas telas;

- Conteúdo: mostrar uma ideia de como será a posição de conteúdo no design;

- Funcionalidade: especificar como o produto interage e verificar o nível de findability (capacidade de encontrar o que precisa).

Agora vamos ao que interessa! Por que wireframes podem melhorar seus resultados?
Com a criação de um wireframe, o cliente poderá visualizar com muito mais nitidez o projeto em questão. Isso também é um facilitador para os designers e desenvolvedores, pois os feedbacks colhidos serão muito mais assertivos.

Dados são analisados, não opiniões.

Além disso, a criação de um wireframe reduz o risco de falhas de usabilidade e navegação. O que reduz, também, o número de perda de usuários e conversão.

Um exemplo de aplicabilidade é em caso de trabalhos realizados à distância. É de fundamental importância a criação de um protótipo de média ou alta fidelidade, pois só assim o usuário/cliente terá a real noção do que está sendo produzido.

Não pule essa etapa, além de economizar o tempo que poderá ser gasto em alterações desnecessárias, ajudará (muito) nos processos de posteriores.