Verão de corpo e alma

Minhas flores murcharam,

Reguei-as com lágrimas tão salgadas quanto o mar,mas sei que elas voltarão.

É tão quente lá fora,mas sinto um tom frio na minha fala. Sinto o brilho do Sol chegando pra queimar minha escuridão.

A brisa me leva como um grão de areia.

Minúscula,infinita.

Minhas fases quentes que antecedem tempestades que antecedem descanso são um retrato das próprias ondas.

Cada estria é uma ondulação a luz d’água,cada defeito é humano,cada amor é rebeldia a ditadura do ódio.

Sou onda quebrada,que se dissipa em espuma,sou a prancha amada,sou o pôr-do-Sol. Vezes também sou o Sol,sou o mar. Sou verão de corpo e alma.


Para ler o meu texto “primavera de corpo e alma” clique aqui: https://medium.com/@1441a5725000/b3ef2e72fc61 e lembre-se,seu “❤” me motiva a escrever mais.