Vida que passa

Nasça, estude em um bom colégio, seja o aluno nota dez, não brigue com os colegas, não falte aulas. Torne-se um adolescente bonito, não use óculos, seja magro, mas nem tanto, pratique esportes, seja popular, não beba, não fume e não foda. Termine o ensino médio aos 16, entre em uma faculdade. Papai não pode pagar? Entre em uma pública. Não passou? burro. Faz artes? Vagabundo. Quer ser professor? Pobre. Filho meu tem que ser “dotô”. Saia da casa dos pais, tenha um bom emprego aos 20, mas nenhum relacionamento, primeiro vem a grana. More à beira-mar, trabalhe 12h por dia, saia com os chefes, malhe para manter a forma e esteja sempre com um sorriso no rosto. Case-se aos 27, porque 30 já está muito velho para começar uma família. Tenha filhos, bote-os o dia inteiro na escola. Esse menino não para de gritar? Tome antidepressivos, termine as noites em uma mistura de álcool e frustração. Onde foi que errei? Deite-se, feche os olhos e dê o último suspiro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.