Isso pode ser facilmente demonstrado fazendo uma comparação simples com a língua portuguesa. Vamos tomar como exemplo a expressão “fala, mulek doido!”. Um equivalente francês seria traduzido para algo como: “Diga aí, meu companheiro por quem tenho muito apreço, que me faz pensar sobre o real sentido da palavra amizade e me traz lágrimas aos olhos quando estou às margens do Sena em uma tarde de outono, tomando uma taça de um bom bourgogne enquanto ajeito a minha echarpe, e de repente penso em você e na fugacidade do tempo, no fato de que um dia todos retornaremos inexoravelmente ao pó, como já o fizeram Flaubert, Robespierre e o casal Curie. Como está a sua existência na jornada de hoje?”.
Noventa e um
Daniel Cariello
61

Adorei rs