Casamento e como as mulheres são vistas

Eu vou casar em Setembro. Após 5 anos de namoro, eu e o meu noivo decidimos, em comum acordo, que era chegada a hora de assumirmos um compromisso mais sério.

E aí, começou a minha indignação com o mercado de casamentos. Teoricamente, eu devo estar desesperada para casar. O mundo me vê assim, uma noiva desesperada e ansiosa pelo casamento e como me devo me comportar como tal, as pessoas se surpreendem algumas vezes. Cito algumas abaixo:

  • No dia em que fechamos o buffet, eu perguntei qual a multa que pagaríamos, se acaso cancelássemos o casamento. Supostamente, eu não deveria fazer essa pergunta, porque a moça me disse, graciosamente: “O QUÊ? UMA NOIVA PERGUNTANDO DE CANCELAR O CASAMENTO, NUNCA VI ISSO”. Vocês deveriam ver a cara que ela fez, quando disse que ia fugir antes de assinar os documentos.
  • Estava procurando referências para as plaquinhas que os pajens entram no dia da cerimônia, tive grande preocupação quando me deparei com a seguinte frase: “Ainda dá tempo de fugir”, “Não foge não, a noiva tá linda”. Sério mesmo que o noivo só não fugiria por causa da estética? Não tem nada nela que faria que ele assumisse esse compromisso? Mesmo? Esse é o tipo de mensagem que quero passar no suposto “dia mais importante da minha vida”.
  • No dia que fui visitar o fotógrafo, ele me mostrou uma referência de fotos do ensaio pré-casamento em que a noiva segurava uma placa escrito “I Love You” e o noivo segurava uma placa escrito “Game Over”. No mesmo instante, eu disse: “Quero uma placa de Game Over pra mim também!”, o fotógrafo ficou de queixo caído e disse “Nossa, que ideia genial, nunca tinha pensado nisso.”
  • Procurando referências para o tal ensaio pré-casamento (e tem pérolas magníficas por aí), vejo a foto de um noivo segurando uma plaquinha “prometo lavar a louça” e a noiva, por sua vez, segurando sua placa “prometo lavar, passar e cozinhar”…
  • Estou numa saga complexa em desenvolver os noivinhos que ficarão no topo do bolo. É uma babaquice sem tamanho, porque me vejo horas e horas pensando nisso, porque realmente é uma tarefa árdua criar dois bonecos que representem a si e a pessoa que você ama. Sim, é difícil! Eu sou tantas coisas, durante o dia, durante a semana, durante a vida, como me representar? Aí, me deparo com esse tipo de coisa:

A noiva em estado de graça e o noivo, amarrada, amordaçado e com uma placa escrito “Sim”.

  • E aí, resolvi procurar decorações para um possível chá de panela e aí vi isso e morri um pouquinho:

Eu acredito que o casamento é uma ação conjunta em que ambos tem direitos e deveres, mas acima de tudo, tem que ter respeito, amor, companheirismo e muitos outros sentimentos envolvidos. Eu, como mulher e procurando ser o mais empoderada possível, questiono cada preconceito que sinto por ser desse gênero. Eu não estou desesperada pra casar, aliás estou com muito receio de mudar drasticamente a minha vida, afinal são 30 anos vivendo de uma maneira e agora terei que assumir outras responsabilidades e dividir minha vida com outra pessoa- que amo tanto a ponto de fazer essa loucura. E sim, me incomodo e continuarei questionando todas as vezes que ver nós mulheres sendo retratada dessa maneira ridícula pelo mercado de casamentos (e todos os outros ambientes, mas isso é assunto pra outro post).

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.