EmBaladas Feministas

Ventre. Útero. Orgão que nos distingue mulher. Sangue. Menstruação. Ciclos. Filhos. Vozes. Corpo. Movimento. Pensamento. Reflexões. Construção. Ventre…A Mulher…lendo Virginia Woolf no conto A marca na Parede me desconcentrei e reconcentrei nos meus questionamentos de pensamentos/reflexões feministas e humanas “…Ao se olhar para cima, é por acreditar em algo divino, o céu, deus, a natureza…ao se olhar para cima, é porque nos encontramos em uma situação inferior…”

Sobre os caminhos do pensar e as influências externas e internas ocorridas sem que controlemos…”Gosto de pensar na árvore em si mesma: primeiro, a sensação íntima e seca de ser madeira; depois, o tormento da tempestade; em seguida o lento e delicioso escorrer da seiva…”

Mesmo parecendo inanimada a natureza se retroalimenta de vida como os nossos pensamentos, símbolo que retrata também fortemente a mulher, “escorrer da seiva” o leite que alimenta a vida…

“Quando nos encontramos face a face, nos ônibus e trens subterrâneos, é no espelho que nós estamos olhando; o que explica a vaguidão, o brilho de vidro, em nossos olhos. E os romancistas do futuro dar-se-ão cada vez mais conta da importância dessas reflexões, pois claro esta que não há só um mas sim um número infinito de reflexões…” obrigada Virginia!

“Entre mim e mim, há vastidões bastantes para a navegação de meus desejos afligidos”. valeu Cecília!

“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento”. Thanks Clarice!

E não podia deixar de colocar um pensamento da minha diva mor:

“Then what have I got?

Why am I alive anyway?

Yeah, what have I got nobody can take away

I got my hair, I got my head

I got my brains, I got my ears

I got my eyes, I got my nose

I got my mouth, I got my smile

I got my tongue, I got my chin

I got my neck, I got my boobs

I got my heart, I got my soul

I got my back, I got my sex

I got my arms, I got my hands

I got my fingers, got my legs

I got my feet, I got my toes

I got my liver, got my blood

I’ve got life

I’ve got my freedom

I’ve got the life”

Grata Nina! I’m a woman! Eu tenho a música!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Aline Carolina Santos’s story.