O Sol também é uma estrela

“Mas apaixonar-se não se compara à formação do Universo. Nem de longe.”

O primeiro livro de Nicola Yoon é: Tudo e Todas as Coisas. E, pra ser sincera, eu só li por ter visto muita gente falando bem, e por achar a capa bem linda (é, às vezes a gente acaba julgando pela capa). Achei um livro bem “ok”, não entrou no meu coração mas também não abandonei.

O Sol também é uma estrela serviu pra mostrar a evolução da escrita de Yoon. Esse livro aqui entrou no meu coração, sim. É tão fofo, tão gostosinho de ler…

A história se passa em apenas um dia. O dia em que Natasha e sua família serão deportados dos Estados Unidos. Tash é uma jamaicana que mora ilegalmente em NY desde os 8 anos de idade, e mal tem lembranças de seu país-natal.

Em contrapartida, temos Daniel, que é cidadão americano, filho de coreanos. Ele precisa decidir seu futuro, e seus pais querem ‘obrigá-lo’ a fazer medicina.

É claro que acontecem várias coisas para que os dois acabem se encontrando, e o romance aconteça. Os capítulos se alteram com narração de Daniel, Natasha e outros personagens secundários. A dinâmica de leitura é muito boa assim, pois além de conseguirmos ver o ponto de vista de várias pessoas, temos vozes diferentes nelas também, o que torna a leitura muito mais prazerosa.

Os personagens são únicos, com personalidades bem definidas. Eu adorei e super recomendo a leitura!

“Às vezes o mundo da gente balança com tanta força que é difícil imaginar que quem está ao redor não perceba também.”