O direito de errar

Ontem, em um grupo direcionado no Facebook, um amigo pediu informações sobre um trabalho em companhias de cruzeiros. Entre várias opiniões, dicas e troca de ideias, uma menina comentou por fim: “Pensa com calma. É só teu futuro apenas.”.

De cara, um turbilhão de pensamentos bombardeou minha mente. Acho que o pleonasmo utilizado e o ponto no final da frase de uma conversa descontraída foram o suficiente para mostrar a sua necessidade de causar impacto com as palavras. Cheguei a minha conclusão: moça, você está sendo dramática. Ela parecia convicta de que a escolha dele definiria o resto de sua vida, e essa era a única chance que ele teria.

Hoje em dia, na alta velocidade que tudo acontece, acabamos vivendo essa pressão de que tudo tem que ser imediato e instantâneo. Terminando o ensino médio, tu já tens que iniciar o ensino superior, terminando este, tu tens que estar inserido no mercado de trabalho e muito bem encaminhado para um crescimento palpável. E como pessoas cada vez mais jovens encontram o sucesso em suas carreiras, o teu tiro tem que ser certeiro, não há tempo para se perder com escolhas erradas.

Essa urgência com o futuro acaba nos consumindo e vetando nosso direito de experimentar, de meter a cara, de vivenciar, não se adaptar e escolher outro caminho. A pressa nos faz esquecer que o que não falta na vida são opções e que sempre podemos mudar de caminho. Temos sempre uma segunda, terceira, quarta e até mesmo quinta chance… A vida não é um jogo sem volta, nada é finito. Oportunidades não se esgotam, se multiplicam. A cada nova porta que abrimos, outras portas aparecem.

O importante é não se perder naquele clichê de deixar de viver o hoje, pensando no amanhã. Conquistas levam tempo, e o que aprendemos durante elas é o que levamos com nós. Por fim, acho que a moça estava certa, é apenas o teu futuro. Até lá, tu tens todo o caminho para experimentar e até mesmo errar, para então poder começar de novo.


Notas da Tia Bibi: Já pensou que louco deve ser viver a vida experimentando várias oportunidades ao invés de se agarrar em só uma?