Image for post
Image for post
Fotografia: Matthew T Rader via Unsplash

Podcast para todo lado, de todos os tamanhos, formatos. Vozes diversas. Gente contando histórias, discutindo, debatendo assuntos sérios, fazendo graça. Gente se expressando. Gente ouvindo.

É lindo viver numa época em que fazer um programa audiofônico é mais acessível. Uma época em que mais gente pode ter voz, em que há menos necessidade de autoridades, de intermediários.

Tem muito podcast? Tá pouco de podcast, manda mais.

Podcasts vão salvar o mundo? Essa onda que se agiganta no horizonte terá o poder de resolver nossos problemas, de revolucionar a comunicação, de derrotar o Thanos? Talvez não. A questão é: precisa?

Companhia para lavar a louça. Trânsito. Dirigindo, dentro de um ônibus, no metrô. Esperando o embarque no aeroporto. No trabalho. Nas horas de tédio. No café da manhã. No almoço, esquentando a marmita no microondas da firma. Na academia. Andando de bike. Corrida no parque. …


Image for post
Image for post
Ilustração por Xueh Magrini

Vai achando que não existimos porque não estamos na sua prateleira

Vai achando que mulher não escreve.

Vai achando que não existimos porque não estamos na sua prateleira; ou nos prêmios aos quais você dá importância; ou nas rodas de conversa e de leitura que você frequenta.

Vai achando que não existimos porque você desconhece nossos nomes. Como se desde Rachel de Queiroz e Clarice Lispector nenhuma outra mulher tivesse escrito algo de relevância no Brasil. Como se não tivéssemos uma Carolina Maria de Jesus. Uma Elvira Vigna. Uma Lygia Fagundes Telles.

Continue tirando da manga um ou dois nomes para confirmar que foram exceção; isso não confirma nada, a não ser sua falta de memória. …


Comece respirando

Image for post
Image for post

Inspire. Expire.

Demorei uns 30 anos de vida para enfim prestar atenção à respiração. Inspire, expire. Respirar é o que você faz sem precisar saber. Flui naturalmente. Você nasceu para isso. Então como pude demorar tanto para aprender?

Claro que, como tudo que fazemos, desde conversar até fotografar paisagens, quando fazemos com atenção, fazemos melhor. Com a respiração não é diferente. Inspire, expire. E é importante tomar consciência desse movimento dos seus pulmões porque eles ensinam muito sobre como ser uma pessoa mais criativa.

“Mas quê?”

Vivo falando isso: criatividade não é habilidade exclusiva de quem escreve, pinta, faz música ou participa de competições de culinária na TV. A criatividade é humana. Não importa no que você trabalhe: você é uma pessoa criativa. …


Image for post
Image for post

Discurso de agradecimento: Oscar, Emmy, Jabuti, Nobel, tanto faz. Já iria preparada, lógico, papelzinho na mão pra não esquecer de ninguém. A estatueta meio trêmula numa mão, enquanto começaria a lista.

Obrigada a você que me disse não.

Você, meu primeiro crushzinho de colégio, que me disse não e me libertou de escrever seu nome dentro de coraçõezinhos em folhas de caderno e nas paredes da escola. Era um nome grande, chato de escrever, e a fila precisava andar.

A você, que recebeu meu currículo numa concessionária, num escritório, numa loja de shopping e em tantos outros lugares e me recusou uma vaga porque eu era inexperiente demais, jovem demais, embora cheia de energia porque desesperada para ganhar algum dinheiro. Se não fosse você me negando essa oportunidade, eu não teria criado o sangue nos olhos e o tempo livre para insistir na busca e entrar em empregos que tinham muito mais a ver comigo e que pagavam melhor. …


Image for post
Image for post
Rebekah Halls

E quando nem o seu melhor parece ser o suficiente

Eu sou muito é trouxa.

Toda preocupada com o que escrever, qual texto novo publicar, quando tudo o que eu queria era ser verdadeira. Rápida e verdadeira, é isso; porque ninguém tem mais tempo e eu não tenho mais paciência para essa eterna burocracia que têm sido as relações, em que temos que usar essas máscaras e cumprir esses papéis e protocolos para mantermos contato, mas sem nos aproximar demais porque cansa, né?

Toda essa preocupação com o que escrever (e se seria interessante ou não) quando eu só queria ter uma conversa franca, puxar uma cadeira, te convidar para sentar e ter um papo sincero, enquanto lá fora, na internet, é um eterno 1º de Abril. Quando é que não há alguém ocupado com as engrenagens de inventar mentiras ou editar a verdade para apresentar algo que consiga mais likes, mais audiência, mais reconhecimento? …


Image for post
Image for post

Dicas para dominar a arte milenar da criatividade

Não é tão difícil dominar os segredos dos antigos Mestres da Criatividade. Não precisa fazer treinamentos intensivos em monastérios no Tibet, nem dar uma de Daniel-san e pintar cercas para seu mestre. Basta conhecer as armas que já estão à sua disposição para se defender da falta de ideias. Para começar, aprendiz, pare de buscar por inspiração e comece a se mexer. As armas da criatividade não vão trabalhar sozinhas.

Repertório

A pessoa criativa alimenta-se de boas fontes. As ideias, afinal, precisam vir de algum lugar. Todos acumulamos repertório durante a vida: os filmes que assistimos, livros que lemos, experiências que temos, lugares que visitamos, conversas que ouvimos. Absorva. Cuide para que seu repertório fique melhor e mais diverso. …


Image for post
Image for post

Um pouco da minha experiência com as Crystal Gems e seu protegido meio-humano, com direito a spoilers sim

O que primeiro me chamou a atenção foi a infinidade de fan-arts retratando aquelas personagens: um mulherão de black power quadrado e óculos irados; uma gordinha roxa; uma nariguda com roupas de balé.

Que será isso?, pensei, repentinamente interessada no tipo de desenho que os jovens de hoje estariam assistindo. Não ter filhos te deixa de fora de um mundo de novidades. Não que eu ache que meus pais um dia se interessaram por Sailor Moon só porque eu não parava de falar que puniria inimigos imaginários EM NOME DA LUA.

Mas lá fui eu investigar — justamente por achar que desenhos animados são algo que também dizem respeito à minha idade (seja ela qual for). …


Vamos compartilhar o trabalho de artistas que admiramos?

Image for post
Image for post
Arte de Giovana Medeiros

Ontem foi um Dia da Mulher diferente do que eu estava acostumada em anos anteriores. Foi um 8 de março menos “parabéns lindas” e mais dia de luta. Bonito de ver. Podia continuar essa vibe o ano inteiro.

Achei mais politizado, vi muita coisa bacana sendo compartilhada, e claro que isso pode ser reflexo de um círculo mais restrito do que um panorama geral — porque não temos muito como fugir da bolha de onde observamos o mundo — , mas o negócio é que a bolha está crescendo.

Algo bem legal que rolou: pessoas indicando escritoras, cientistas, artistas, mulheres fodas de todas as áreas que merecem ter o trabalho reconhecido e que deveriam ser lembradas sempre. …


Sobre “Dicas da Imensidão”, de Margaret Atwood.

Image for post
Image for post
Foto: Peter Kent

Quando resolvi escrever um romance sobre o oceano, sabia que estaria lidando com o desconhecido, com um ambiente hostil, com um mundo cheio de segredos. O mar dá medo. Esse me parece justamente o melhor motivo para escrever: eu não escreveria sobre algo que não me perturbasse ou me apavorasse em algum nível.

O oceano é só um exemplo entre tantos cenários tão assustadores quanto fascinantes: montanhas, cavernas, florestas, desertos, pântanos, a galáxia, aquele pote de comida que ficou há tanto tempo guardado que dá até medo de abrir (e que não deixa de ser um pequeno universo habitado).

É como se a natureza ameaçasse nos invadir pelas menores frestas dessa realidade segura que construímos para nós; tentasse vazar a qualquer instante para dentro desses ambientes controlados em que podemos criar a ilusão de que, ei, está tudo sob controle, olha que civilizados e limpinhos nós somos, sabemos o que está acontecendo. …


Image for post
Image for post
“Uma palavra depois de uma palavra depois de uma palavra é poder” – Margaret Atwood

Escritora canadense conhecida por seus romances, contos, poemas, ensaios, premiadíssima no campo da Ficção Científica, escreve quadrinhos, está tendo suas histórias adaptadas para a TV, e também é conhecida por fazer uma imitação da Bruxa Má do Oeste que deixou Neil Gaiman apavorado.

O trecho ilustrado acima pertence ao poema Spelling:

My daughter plays on the floor
with plastic letters,
red, blue & hard yellow,
learning how to spell,
spelling,
how to make spells.

I wonder how many women
denied themselves daughters,
closed themselves in rooms,
drew the curtains
so they could mainline words.

A child is not a poem,
a poem is not a child.
there is no either/or. …

About

Aline Valek

Escritora e ilustradora. Autora do romance "As águas-vivas não sabem de si"

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store