Travessias

Embora seja apenas um esboço, (orientador vai ler, irei corrigir, etc.), eis que termino o último capítulo da tese.

Com estas palavras:

Mais do que certificar-se de que o mal é humano, que o bom é humano, que o Diabo não existe e Deus é um gatilho, há a travessia que é eterna.
E que Destino nunca é o que planejamos.

Claro que me refiro ao destino em sua configuração dentro do trágico.

Mas estou quase achando que é isso. Não há como planejar destinos.

Valete, fratres

Like what you read? Give Álisson Da Hora a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.