Hoje percebo o quão mal faz ser absolutamente altruísta, é hora de lembrar- me que sou protagonista da minha história - somente eu e Deus - por isso tenho o dever de "tomar uma dose de egoísmo moderado". 
Quantas vezes me abstenho da minha vontade? Sempre ignorando meus desejos e minhas vontades para fazer a do próximo, de maneira espontânea e quando alguém tenta me ajuda questionando: o que você quer?
Sinto medo e fujo para não ter que responder.
E sinceramente, não faço a mínima ideia do motivo desse medo. Mas irei enfrentá- lo a partir de agora, pois ao invés de pensar somente no próximo, irei pensar em mim também, não dar prioridade a nenhuma das partes, mas em ambos.
Em relacionamentos amorosos sempre coloco meu parceiro como centro, esqueço que sou parte do relacionamento, me preocupando apenas com o coração dele e esquecendo do coração que carrego. Portanto, vejo que não estou preparada para um relacionamento no momento.
Não quero mais me envolver, não tenho mais a pretensão de "deixar acontecer", vou buscar primeiramente minha auto- suficiência, me amar, me encontrar e talvez quem sabe, voltar a me permitir relacionar- me novamente.
Na faculdade? Estudo para as provas! Atitude totalmente equivocada, tenho que estudar para adquirir conhecimento, pois conhecer é prazeroso, como também para meu futuro, que tenho o desejo de ser uma excelente profissional! Gosto do curso, mas não faço com amor.. a escolha em cursar direito foi absolutamente para mim e pela minha falta de amor próprio, me impede de que eu me dedique...

Por fim, tenho o dever de tomar uma dose de amor próprio!


Escrito por: Mayara mas

Like what you read? Give Allan Gonçalves a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.