as playlists de pedro episódio 1 — mais latino do que eu?!

https://open.spotify.com/user/pedrovalenca/playlist/3UeoVkHQ8CsirF4cBuyzeu

A música é um elemento tão presente no dia-a-dia do cidadão latino quanto a má governança, o narcotráfico, o feriado emendado, o deslumbramento com a organização do primeiro mundo, os pacotes para a Flórida, a vaidade, as oportunidades perdidas, o abismo entre os estratos sociais e a aguardente de cana. Dos rancheros dos desertos do norte do México aos pinguins do Estreito de Magalhães, o latino não recusa um bailinho. Seja samba, salsa, reggaeton, hip-hop, cumbia, brega, merengue, forró, sertanejo universitário ou tantos outros, a rotina do latino é temperada por café, estresse, insegurança e muito ritmo.

Selecionei 5 músicas que me fazem pensar “porra, essa música é latina pra caralho”. Elas não são um conjunto representativo da riqueza e da diversidade da música latina (para isso precisaríamos de uma pesquisa bem mais extensa), apenas uma pequena amostra de sons e vibes que nos remetem ao continente mais top/chévere da Terra.

Agora pegue o seu óculos de sol, o seu boné de político populista favorito e vamos curtir essa bênção que é ter nascido latinoamericano.

# 1 Banda Labaredas — Garotinha Linda

A única coisa em comum que o brasileiro tem com o inglês é a misteriosa noção de não pertencer ao seu continente. Ambos sofrem de um delírio coletivo de ser um povo “à parte” dos seus vizinhos. O intercâmbio cultural Brasil-América espanhola tem um déficit enorme para o nosso lado. Enquanto estrelas da música nacional têm influência e status de celebridade no outro lado da fronteira, são poucos os intérpretes de língua espanhola conhecidos aqui. Pura arrogância, pois o Brasil ganharia muito mais se admitisse as influências culturais dos seus vizinhos. Às vezes, contudo, o brasileiro não consegue disfarçar o seu espírito latino, como por exemplo na música Garotinha Linda da Banda Labaredas, que deve ser a coisa mais latina da história desde a invenção do engarrafamento (e é quase boa demais para ser real).

# 2 Celia Cruz — La Vida Es Un Carnaval

ah não vei, essa música é boa demais pra ser real

Já retiro o que disse anteriormente: ESSA música é a coisa mais latina da história e definitivamente é boa demais para ser real. Essa salsa clássica de Celia Cruz fala sobre o instinto latino de perseverar apesar das dificuldades, resistir aos tempos duros com resiliência e terminar o dia com um otimismo esperançoso e simultaneamente resignado. Ou seja, esse desejo nosso de transformar uma vida cruel e agridoce em carnaval. Sua letra belíssima deve ser ouvida com atenção por aquele que está se sentindo sozinho ou tendo um dia difícil “todo aquél que piense que la vida es desigual tiene que saber que no es así, que la vida es una hermosura, hay que vivirla! todo aquél que piense que está solo y que está mal tiene que saber que no es así, que en la vida no hay nadie solo, siempre hay alguien!” Ao cantar que a vida não é sempre cruel e que momentos maus passam, Celia parece mais uma amiga sábia do que uma cantora. E essa talvez seja a música mais bonita desse continente

#3 Ivete e Shakira — Dançando

O encontro de Ivete Sangalo E Shakira é quase um episódio crossover de “as coisas mais latinas da humanidade” Não só Ivete é a brasileira mais latina do mundo, Shakira é a versão hollywoodiana do continente. As duas juntas cantando uma lambada de carnaval é quase uma explosão de América Latina. (Uma música dessa e o cara bebo faz um estrago…….)

# 4 Sara Hebe — Tuve Que Quemar

Não só de cumbia e derivados vive a música latina. Existem também surpresas como uma rapper patagônica. Isso mesmo, Sara Hebe é uma rapper da Patagônia Argentina, o que já de imediato a coloca na categoria “eu preciso ouvir isso”, mas essa combinação inusitada é ainda melhor na prática do que na teoria. Tuve Que Quemar é um rap/pop/ska charmoso, contagiante e irresistível. Seguindo a tradição latina, essa é uma música política “tuve que quemar la cúpula del Congreso de la nación” e passional em que esse jovem talento quer queimar tudo que a faz lembrar do ex.

# 5 Chico Trujillo — Así Es Que Vivo Yo

Na verdade o Chico Trujillo foi o motivo pelo qual eu fiz essa playlist. E o mais doloroso foi escolher apenas uma música dessa banda criminalmente subestimada de cumbia chilena. Cantando cumbias populares colombianas, os discos do Chico Trujillo têm uma insuperável vibe de carnaval de rua. E Así Es Que Vivo Yo fala literalmente sobre se divertir: beber mi trago tranquilo bailando ritmo latino gozandolo! así es que vivo yo! É um sentimento de euforia coletiva, trompetes, instrumentos de sopro e festas que duram até o amanhecer. O mais interessante é que essas músicas nos parecem misteriosamente familiares e as comparações com o carnaval são inevitáveis. Talvez essa seja a maior prova de que existe, afinal, uma alma latinoamericana e que todos estamos sonicamente interligados por uma força insondável.

Também escutem urgentemente: Loca (essa foi escrita pensando em certas amigas — não falei quais), No Me Busques (quase uma música de Aviões do Forró no sentido “agora que você quer eu não te quero mais), La Banda de Mi Vecino (eu tenho certeza que isso é o carnaval de Olinda) Lanzaplatos (outra composição a la Aviões do Forró “estou melhor sem você, siga sua vida que agora não te quero”) e Linda Secretaria (palmas para a misoginia: que linda secretaria es la que tiene usted una igualita a esa quisera yo tener). Todas essas são músicas incríveis, pode confiar.