“Por que você fuma tão depressa?”, perguntei.
Ela me olhou e abriu um sorriso largo, e um sorriso assim tão largo em seu rosto estreito talvez lhe desse um ar meio tolo, não fosse a inquestionável elegância de seus olhos verdes. Ela sorriu com todo um encantamento de uma criança na noite de Natal e disse: “Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer.”

— Quem é você, Alasca? John Green