Sempre fui julgada por não ser “sensível” o suficiente…

Desde cedo tive esse jeito meio bruto de ser. Normalmente de 10 palavras que saem da minha boca 7 são palavrões daqueles de baixíssimo nível, o mais leve que eu já escutei é que tenho cara de antipática. Além disso, tenho dificuldades bastante sérias de lidar com drama. Tenho esse meu dom — ou fardo — de simplificar e resolver da maneira mais racional o possível todos os meus problemas e situações que possam surgir durante minha vida.

Por causa disso, sempre fui julgada na vida por pessoas “sensíveis”, engraçado como parece que tudo na sociedade segue um padrão, até comportamentos involuntários as pessoas tentam mudar para se encaixar no meio.

Ultimamente saí de um relacionamento do qual foi muito abusivo — por parte da outra pessoa — e como todo fim de relacionamento abusivo, a pessoa fica presa num loopin de pensamentos e arrependimentos achando que poderia ter dado certo se certas coisas não tivessem acontecido da maneira que aconteceram, e então eu ficava pensando que tinha dado errado por causa desse meu lado frio e calculista de não conseguir demonstrar afeto o suficiente com a pessoa, além de ser grossa em situacoes das quais colocava minhas palavras que pra mim, eram inofensivas e sem nenhuma intensão ruim, machucavam a pessoa.

Por meses eu me culpei.

Eu cheguei a decidir que eu seria outra pessoa, que eu seria mais carinhosa com as pessoas, que eu demonstraria mais afeto, ou mesmo sorriria e seria mais paciente.

Vou contar pra você — e pasme! — que durante esses meses em que eu fui atrás das pessoas, me esforcei pra tratar as pessoas da melhor forma o possível, alem de me abrir mais para as pessoas deixando meus sentimentos a posto, foram os PIORES meses da minha vida.

A minha intenção eu prometo que era a melhor de todas, poxa eu sai de um relacionamento me sentindo frustrada, eu só queria ser feliz. Quem não quer ser feliz? Eu busquei isso, e fui atrás do caminho que eu julguei ser o certo.

Durante esses meses, as pessoas pisaram de todas as formas que podiam no que eu sentia, muita gente foi grosseira comigo em ocasiões das quais eu não esperava, me senti sozinha e insuficiente mais do que nunca na minha vida, houve até pessoas que me respeitavam e eram amigas minhas mas quando viram esse meu lado mais sensível, praticamente aproveitaram pra me fazer de trouxa em diversas situacões, e logo tais pessoas que me julgavam fria no passado.

Foi aí que eu descobri, que eu não tinha obrigação de me sentir igual as outras pessoas, e muito menos agir como elas. Comecei a entender que a única coisa que me protegeu do mundo todos esses anos foi exatamente essa armadura que eu construi envolta dos meus sentimentos. E isso é muito bom. Não precisava mais ter vergonha disso.

Hoje em dia voltei a ser esse ser humano frio, sem vida e sem coração da qual as pessoas tanto julgam. Já não me incomodo mais quando as pessoas falam isso de mim, e descobri que para as pessoas certas, eu tenho SIM sentimentos e boas intenções bastante reais e concretas, mas que eu NÃO preciso ficar oferecendo de mãos abertas pra qualquer pessoa só pra me encaixar em mais um desses grupinhos de pessoas bacaninhas. Eu sou muito mais completa guardando meu melhor lado pra mim mesma, e para aqueles que realmente merecem.