Por que eu não confio no tipo de Ensino atual?

Simples. O jeito que ensinam é invariavelmente precário, previsivelmente ultrapassado e tristemente limitante em relação ao aluno. A escola como conhecemos diz para o aluno que só existe UMA verdade em relação a tal assunto, sendo que, podem muito bem existir PONTOS DE VISTA diferentes de coisas que são, A PRINCÍPIO, verdades absolutas. Mas sabe o que me deixa mais DESGRAÇADO DA CABEÇA em relação à escola? É que esses mesmos educadores exigem, anos depois, que alunos façam redações COM SUAS OPINIÕES a respeito de um tema, para poderem assim irem para uma faculdade. Isso chega a ser irônico.

Acompanhem o raciocínio: Na escola, alunos não podiam dar suas opiniões, mas nessa prova que te levará para a faculdade, o que deveria ser algo VERDADEIRAMENTE preparado DESDE A ESCOLA, e não somente um mês antes de essa prova, não é feito. 
 É como se um pai deixasse o filho a vida inteira de castigo por QUERER BRINCAR, e depois que o filho chega à fase adulta, esse mesmo pai comece a EXIGIR que o filho QUEIRA BRINCAR. Esse exemplo faz tanto sentido quanto o Ensino atual.

A escola como conhecemos surgiu na Revolução Industrial. Pode perceber que o modelo que a maioria das escolas aplicam parecem formas que patrões aplicavam em suas fábricas no século XVIII. É a mesma coisa.

Então, é um pouquinho difícil de acatar e confiar nesse tipo de ensino pouco crível que nós temos no Brasil.

Like what you read? Give Pedro Souza a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.