Sobre escrever

Sempre gostei de escrever. Devo ter uns três diários e alguns blogs perdidos por aí. Cheguei a querer prestar faculdade de Jornalismo durante a graduação em Publicidade (!), mas desisti. Depois, fiz uma pós com um pé em Jornalismo e vi que não, não é porque você gosta de escrever que você deve fazer jornalismo.

Mas uma coisa eu notei: escrever faz bem. Bota os demônios tudo pra fora, e até cria alguns. São bons demônios, que fazem os neurônios lembrarem (controverso) para quê servem. Coincidindo com a época que parei de escrever, também diminuí o ritmo da leitura. Só sinais de grandes erros. Acumulo uma pilha de revista piauí, e são elas que mais leio. Mais que livros, embora elas ainda estejam acumuladas nos seus saquinhos plásticos originais da entrega.

Estou de volta. Preciso.

Preciso soltar esses demônios pelos dedos.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.