maníaconsciente

No fim das contas é uma doença.

Esquece isso de contexto, fatores exógenos, endógenos.

É tudo doença.

Que usa suas entranhas para te expandir no corpo e na mente.

Principalmente na mente.

É pior que câncer.

É invisível, não tem cor, cheiro, sinal, indício.

Simplesmente está lá. Sempre esteve.

Já faz parte da sua realidade.

E é aí que mora o problema.

Eu já não consigo mais distinguir o que é real e o que é a mente.

Ela me passa a perna e eu nunca revido.

Talvez seja o momento de aceitar.

Aceitar que não tenho poder sobre mim mesma, sobre meus sentimentos.

Entender e viver conforme os meus limites.

Mas isso é possível?

Abrir mão de coisas e pessoas que me fazem bem por causa dessa merda que está na minha genética?

O jeito era extinguir isso pela raiz.

Arrancar do DNA.

Destruir todas as chances de isso passar para frente.

A gente fica escravo de si mesmo.

Eu só quero tentar achar alguma graça nessa vida.

E poder ficar em paz.