Não sei quem sou.

Não sei quem quero ser, mas com certeza eu não quero ser quem já fui. Carrego uma carga de erros que é relativamente maior que os acertos, e são essas que sempre me vem na mente depois das 23:59. Você já sentiu como se o mundo fosse muito mais do que aquilo que conseguimos ver, sentir, ouvir etc. Porém, existe um véu que me cerca, existe um bloqueio, ele me impede de enxergar novas sensações, novas possibilidades para viver de uma forma diferente. Eu poderia culpar meus problemas com relacionamentos passados, frustrações e por desacreditar na maioria das coisas. Mas, e se a culpa for minha por não superar tudo isso? Ou melhor, eu não quiser que seja superado, não esquecer, porque é incrivelmente confortável viver lá. É mais fácil ter esperança em reviver o passado do que arriscar um futuro incerto. Eu já chamo isso de utopia. Não me considere um depressivo ao ler essas linhas, sou apenas um cara, melancólico, realista e desacreditado demais.