Falar merda na Internet é fácil demais

Vocês já fizeram. Eu sei que já fizeram. Eu também já fiz. Todo mundo faz. Mesmo que tente muito não fazer.

Ser grosseiro. Tratar questões com indiferença. Ignorância em geral. Falar com autoridade sobre assuntos que você não tem conhecimento mais profundo que uma googlada. Falar com autoridade sobre o caráter de pessoas que você nunca viu na vida. Falar que o “falar com autoridade” dos outros não tem autoridade nenhuma (viram?).

A internet é maravilhosa. É um espaço de expressão irreal (literalmente), onde qualquer ideia pode ser expressa, pode ganhar fôlego e ímpeto e se espalhar por esse método maravilhoso que é a memética. O problema é que essa facilidade toda não vem com regras, e aí o negócio fica complexo.

Quando a gente entra na Internet, ninguém avisa que as interações sociais ainda estão de algum modo dentro do famoso Contrato Social e não, você não pode falar o que quiser sem sofrer consequências.

Me ocorre que dois caminhos podem se desenvolver nessa conjuntura atual de internet-livre-pra-se-falar-o-que-se-bem-entender (ou “internet dos comentaristas”).

Uma é ocorrer uma maior compreensão e passagem de pano para o que as pessoas escrevem na internet. Sabem quando uma pessoa tá bêbada, mamadaça mesmo, mais louca que o Bátima? Em geral, o discurso da pessoa bêbada é tratado com muito mais leniência que o mesmo discurso de uma pessoa sóbria. Ou seja, uma possibilidade é a gente chegar no ponto de tratar as interações via internet como se passando pelo filtro de uma bebedeira daquelas. Nada do que é dito deve ser levado tão a sério, afinal, diabos, ninguém tem controle do que diz.

Ou, a gente podia tentar ir um pouco pro outro lado e lembrar que sim, mesmo o bêbado é responsável pelo que diz. Que a bebida não coloca pensamentos secretos na cabeça de ninguém. Que, se as palavras saem por uma falta de freio moral ou filtro social, elas ainda teriam que ser formuladas em primeiro lugar. E que se você fala merda na internet, você podia, sim, pensar antes de digitar. Hesitar antes de apertar Enter ou send.

Então peço pra vocês (e pra mim também). Vamos lembrar que a gente não tá bêbado quando estivermos em interações sociais na internet. Que ser chato, grosseiro ou fanático tem consequências. E que não tem como jogar esses comportamentos embaixo do tapete pra sempre.

Vamos ver se a gente consegue tornar mais difícil o falar merda na internet.