Acendo o último cigarro do mundo

trago silenciosamente

e busco esperança

no último vento que sopra do norte

lamentando por todas as mortes

de pessoas que pensaram no mar

sem fundo

E apago o cigarro na água gelada do oceano

torcendo por uma grande virada

tocando o clima frio

de mais um ano

obscuro

(Álvaro Marcolino)

Like what you read? Give Álvaro Marcolino a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.