Sem contato

Acordou numa terça-feira e decidiu desaparecer por completo.

Começou faltando o trabalho.

“Será que ele está doente? Maria, manda uma mensagem pro Marco. Tem trabalho pra hoje, preciso saber porque ele faltou e quando volta”

Maria manda e-mail, liga para a residência do funcionário faltoso, tenta o whatsapp, mas não obtém nenhuma resposta. Informa seus resultados ao chefe e ambos decidem esperar até amanhã, para saber se há algum sinal de vida.

Seus amigos se reúnem para um futebol na terça à noite. Sérgio liga para ele, mas não consegue falar. Tenta nas redes sociais e nada. “Bom, deve ter chegado cansado do trabalho”, concluiu.

“ Não, ele não foi trabalhar hoje. Liguei pra dar um recado à Maria e ela contou que ele não estava lá”

“Então vamos ligar pro prédio dele, o porteiro deve visto ele sair ou algo do tipo”

Ligam para o prédio e o porteiro diz não tê-lo visto passar pela portaria naquele dia, mas avisa que vai interfonar para saber se está tudo bem.

Mais uma vez, nenhuma resposta “Deve estar com alguma companhia feminina e não quer ser incomodado” pensou.

“Olha, interfonei pro seu Marco e nada”

Sérgio e os outros amigos seguem suas vidas e decidem falar com Marco quando este estiver a fim de papo. Pensaram que naquele dia ele quisesse ficar só.

No dia seguinte, Maria e o Chefe tentam achar algum outro telefone que possa ajudar a falar com Marco. Mas ele mora e sozinho e eles não conhecem nenhum parente próximo.

“Espera, Sérgio me falou uma vez que o Marco tem um irmão, não é muito próximo, mas a gente pode tentar falar com ele” propõe Maria.

O Chefe, já impaciente, diz “Primeiro, quem é Sérgio? Segundo, não vou falar com o irmão de ninguém. Marco é um irresponsável, falta dois dias seguidos e não dá uma satisfação? Se quiser procurar, procure. Depois do expediente, é claro”

Maria não toca mais no assunto e marca de encontrar com Sérgio depois do trabalho.

“E então Maria, qual é a sua ideia?

“Você lembra que o Marco tinha um irmão? Talvez ele saiba como o Marco tá”.

“Maria, acho que não é pra tanto. O Marco deve tá deprimido porque a Clara terminou com ele semana passada”.

“Eles terminaram? Caramba, formavam um casal tão legal” comenta Maria com tristeza.

“E casais legais terminam o tempo todo. Nada é pra sempre. Mas, enfim, acha mesmo que há necessidade de procurarmos o tal irmão?”

“Acho, Marco é nosso amigo e precisamos apoiá-lo, independente de ele estar sumido por causa do término ou por qualquer outra razão”

“O irmão dele, o Márcio, trabalha numa loja aqui perto, mas oh, eles não se falam direito”

Maria e Sérgio vão até onde Márcio trabalha

“Nós somos amigos do seu irmão. Ele está sumido desde ontem, você tem como entrar em contato com ele? Ele não foi na empresa hoje e não deu qualquer sinal de vida” Diz Maria num tom preocupado, mas bastante objetivo.

“Olha, não falo com ele há algum tempo e provavelmente eu não tenho nenhum número ou contato que vocês já não tenham” responde Márcio.

“Acho que ele deve estar deprimido porque a Clara terminou com ele” aponta Sérgio

“Marco triste por causa de mulher? Acho que vocês não conhecem bem meu irmão. Já experimentaram ir lá no apartamento dele?”

“Como assim a gente vai lá sem avisar? E se ele não quiser nos receber”

“E amigo de verdade tem isso de “não querer receber”? Enfim, acho que não posso ajudar vocês, passar bem” Concluiu Márcio virando as costas para Sergio e Maria.

Eles se olham perguntando como resolverão a situação e ele diz

“ É melhor irmos pra casa, amanhã o Marco deve aparecer. Você tem que trabalhar, eu também”

Quinta-feira.

O Chefe continua impaciente, Maria segue preocupada. Sérgio tenta contato com Clara, mas não consegue. Liga de novo pro prédio e o porteiro diz “Olha, desde segunda que não vejo Seu Marco, to achando que ele quis sair sem ser visto. Por que nem eu nem o o porteiro do outro turno vimos ele sair.”

Sexta-feira

O Chefe decide ignorar a existência de Marco e colocar outra pessoa para trabalhar no seu lugar. Maria decide se preocupar com a viagem do fim de semana com Sérgio. Esse por sua vez, começa a ficar preocupado de verdade com o amigo “Mas a viagem já está marcada há muito tempo. Marco vai se recuperar”

Para aliviar a própria consciência, Sérgio pede a Clara pra ir até Marco ver o que houve.

“Não tenho nada pra falar com ele. Ele vai achar que quero voltar, e eu não quero me aborrecer”

“Mas ele sumiu desde terça-feira. É que eu não posso ir lá, vou pro aeroporto direto do trabalho. Ele só tem Maria e eu de amigos e não fala direito com o irmão, então …”

“Sobra apenas eu pra resolver isso”

Sérgio faz sinal positivo com a cabeça e se despede.

Clara acaba indo até o apartamento de Marco mais pela insistência de Sérgio do que por ela mesma estar preocupada. Chega enfim na portaria e pede a chave do apartamento ao porteiro

“Eu vou interfonar pra ver ser se o Seu Marco pode atender a senhorita”

“Ele não atende ninguém desde terça-feira, Alcebíades. Você me conhece, eu preciso falar com ele urgente. As pessoas estão preocupadas com essa atitude infantil do Marco”

O porteiro dá a chave e Clara caminha até o elevador

Chega ao 7º andar. Naquela noite de sexta fazia frio, o ambiente do corredor era bastante úmido. Clara estranha a pouca luminosidade do andar que ela já percorrera tantas vezes.

Para em frente ao 701, respira fundo, coloca a chave e entra.

Para sua surpresa Marco não está lá. há apenas um bilhete escrito com sangue:

Fiz contato com outro mundo e ele me pareceu mais atraente que este. Dou o prazo de três dias contando a partir das dez da manhã dessa terça feira, 15 de outubro, para que alguém me procure. Se ninguém aparecer, eu desaparecei por completo.

Continua …

Like what you read? Give Alysson Vieira Lima a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.