Vendendo meu peixe (digo, minha arte)
Estevão Ribeiro
486

Oi Estevão – não tem nada do que desculpar. Fazer quadrinhos, ilustrações, histórias – tudo isso consome tempo da vida pra fazer. É trabalho, mesmo se muitos não acreditam e acham que podem pegar “um desenhinho” de graça… Nós passamos a vida toda vendendo o nosso tempo a alguém – um chefe, um cliente – para sobreviver e idealmente para fazer bem mais do que sobreviver. O maior êxito da vida a meu olhar é quando a sua maior paixão vira finalmente rentável e famoso para não depender de outra coisa – quem não quiser? Mais para isso tem que vender antes muito, muito “peixe”, perder a vergonha de se expor, de soar como um vendedor de carro usado, de repetir o discurso de venda mesmo se já vira você doente… de lutar sem fim. É a vida como é, enquanto ainda ficar vivo ainda há chance pra pegar oportunidades. Abraço :)

Like what you read? Give Alberto González a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.