Como surgiu o ideia do livro “Rádiojornalismo no interior: sugestões de como fazer”

Apresentação da pesquisa para embasar o livro, realizada no final do primeiro semestre

O livro “Rádiojornalismo no interior: sugestões de como fazer”, surgiu a partir de uma inquietação pessoal, além do amor ao rádio e ao jornalismo. Com seis anos de trabalho em uma rádio AM no interior gaúcho, percebi que manuais gerais já existentes, voltado ao rádio das capitais e metrópoles, não davam conta de apoiar e informar como é fazer radiojornalismo de qualidade no interior. Em rádios de médio e grande porte existem características muito peculiares e específicas. Faltava algo que tenha um olhar local.

Existem poucas pesquisas que tratam especificamente do que é produzido por emissoras de amplitude modulada (AM) nessas regiões interioranas. Ao mesmo tempo, o rádio nesses locais é um universo apaixonante e importante nas comunidades, e que merece atenção da academia e tentativas de torná-lo ainda melhor.

Trabalho aliado à pesquisa acadêmica

Na maioria das emissoras do interior não existe uma diretriz específica de como trabalhar, com ausência de normas constituídas em um guia ou manual. Para Ferrareto (2017), um dos problemas atuais no radiojornalismo é, sem dúvida, a despadronização e certo desleixo com a técnica. O pesquisador explora possíveis motivos em artigo recente do seu blog Uma História do Rádio no Rio Grande do Sul.

O manual ser realidade foi graças ao Mestrado em Comunicação e Indústria Criativa, da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), campus São Borja. Com aprovação para o ano letivo de 2018, a pesquisa começou neste ano, com orientação da professora doutora Carmen Abreu Gonçalves.

No primeiro semestre foi realizado o chamado “PDI Planejamento”, etapa que envolveu pesquisa nas rádios, entrevistas com profissionais e embasamento teórico do trabalho. No segundo, está sendo feita a execução. Tudo isso com as disciplinas do mestrado e o trabalho na rádio.

Professora Carmen, minha orientadora

As meninas no comando

Inicialmente em forma de Ebook, a previsão de lançamento é em março de 2019. Atualmente está na fase final da escrita, depois passará pela revisão, editoração e publicação. Todas as etapas envolvem e valorizam o trabalho feminino, uma vez que confirmei nas pesquisas a predominância masculina no rádio hoje, ao menos no interior. Nas Missões, apenas duas emissoras possuem mulher na equipe de trabalho. Em post futuro, vamos apresentar quem são as mulheres que fazem o “Rádiojornalismo no interior: sugestões de como fazer”. Um time maravilhoso de mulheres.

O que encontrar no livro?

De forma bastante didática, o guia tem informações de elementos básicos da comunicação em rádio, como os critérios de noticiabilidade, relação com as fontes, técnicas de como escrever para a locução e para o site, orientações para situações específicas, como suicídios, tragédias, crimes envolvendo menores e outros casos do dia a dia. Um dos pontos essenciais diz respeito à apuração, uma prática essencial na profissão, reforçada hoje em cenário de boatos que se espalham rapidamente como se fossem verdadeiros, conhecidos como fake news. O objetivo é que seja um livro de apoio a todos e todas que fazem rádio no interior de qualquer cidade brasileira ou do mundo, com ética, responsabilidade e criatividade.