Aura gélida dos cadáveres

Versos Livres

Os pedaços de tecido
que aos poucos eram desprendidos
do seu corpo roxo e frio
em cima da mesa de pesquisa
nunca haviam sido algo.

Algo no sentido real
não um mero objeto de um curta sem nexo.
Uma pessoa talvez tenha sido
em algum instante da sua vida.
Mas o que é a vida se não puder ser eterna?

A Morte ronda todos os homens
mas eles nunca pensam nela.
Nunca pensam na gordura
que caíra do seu corpo
quando a lamina da autopsia passar por seus órgãos.

E não correrão igual a formigas desesperadas
por que água quente jorra por cima de suas cabeças.
Corram, desesperem-se, homens todos!
A morte está sob as suas cabeças e ela vira sem piedade.

Zombara de todos os seus esforços
para ser alguém durante a tua vida.
Irá rir pelas mãos de outros homens
quando eles cortarem

a sua
carne dura,
cadáver.

Like what you read? Give Amanda Lima a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.