Preocupante aumento no índice de criminalidade do bairro Monte Verde

É de conhecimento geral que do ano passado para cá houve um aparente aumento na criminalidade na cidade de Florianópolis. Esse fato é bastante notável especialmente no bairro Monte Verde, na região oeste da cidade, um bairro onde até crimes hediondos são considerados “normais” para quem convive pela área.

A Polícia Militar da região confirmou a veracidade do fato, o índice de criminalidade realmente sofreu um aumento. De acordo com o policial Pedro Paulo da Silva, atuante no bairro, os crimes mais cometidos são furto e roubo, o que faz com que moradores e lojistas vivam numa constante preocupação. Ao ser questionado sobre quais medidas de precaução a guarda policial está tomando, o policial afirma que a guarda está mais evoluída com muito mais policiamento preventivo. Uma solução viável, mas não muito afetivas.

Delegacia da região. (Foto: Divulgação)

Cerca de 2 meses atrás, a delegacia do bairro foi alvo de um tiroteio. Fato que normalmente seria um trauma para algumas pessoas, pareceu não ter atingido tanto os policiais, já que, ao ser questionados sobre esse acontecimento, os profissionais alegaram que é algo normal e que não há de deixar sequelas, mas admitem o receio de atuar numa área tão perigosa assim.

Latônico Júnior, Representante do Bairro. (Foto: Divulgação)

Latrônico Júnior, representante do bairro Monte verde, disse morar na localidade há mais de 30 anos e alega que já foi assaltado várias vezes, “ — Lembro de umas 6 vezes, pelos menos. ”, disse. Ao ser entrevistado, ele ressaltou várias vezes a falta de policiamento e a indiferença que policias e guardas têm com moradores e lojistas da região, disse não acreditar com o aumento do policiamento preventivo dito pelo próprio policial atuante no bairro, “ — Parece mesmo é que eles tão diminuindo cada vez mais, eles devem é estar com medo. (Risos) ”.

Amaro Valdevino Laureano, morador do bairro há quase 30 anos, ressaltou o quanto o local era tranquilo no passado e que nunca poderia imaginar o bairro tomando o rumo que tomou, mas, apesar do morador afirmar do constante receio para quem mora pela região, alegou não ter vontade de morar em outro lugar, justamente pela localização avantajada do próprio.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Amaro Júnior’s story.