Ode ao falo

Você já pensou em ter medo de andar na rua, por ser quem você é? Eu já. Já pensou em assumir sua identidade de gênero enfrentando o banheiro que corresponde a ele? Eu já. A diferença é que nas duas realidades, o medo é mais de um . Quando eu me entendia no feminino e nas feminilidade o medo era de estupro ou feminicidio. Na masculinidade, estupro e homicídio, ou seja, mudou o gênero e a vulnerabilidade continua.

Na cisgeneridade e na transgeneridade , corpos são vulneráveis, são meios de ódio e prazer numa sociedade que não nos assegura a plena liberdade de ser: mulheres cis ou Trans e homens Trans. Corpos com bucetas são corpos marcados , seja facilidade que a medicina acha em fazer bucetas em corpos Intersexos, por sermos criadas numa sociedade que nos ensina para cuidar e não nos permite ou até permita, mas não nos estimule a nos proteger.

Vivemos “sob a proteção” do macho branco-cis-hetero que num mundo falocentrado e biologizante traz a ideia de que o falo e o sexo são irmãos siameses, o desejo é animal instituído como fisiológico e tão poderoso que corpos embucetados são objetos de sua testosterona incontrolável, falos são poderosos tem inclusive tamanho para ser considerados aceitos e “funcionais” principalmente para a manutenção da espécie. Um machismo que estabelece padrões de aceitabilidade de um objeto de prolongamento da espécie e desconsidera o prazer de um falo que esteja fora do falômetro.

Quando cirurgiadas mulheres sejam Trans ou Intersexo, não ouvem da equipe médica alguém interessado no prazer feminino. O que interessa aqui é um buraco penetrável em que se pode depositar o prazer masculino, sem pensar no prazer feminino. Esse assunto é ignorado assim como a proteção dos corpos Intersexuados seja na infância ou nas ruas das grandes cidades em que mulheres cis ou Trans precisam viver…..

Tudo pelo Falo este poderoso membro que rege nossa sociedade e inclusive se diz democrático mas log o quando tem sobre suas cabeças uma buceta a governar,logo procuras dar um golpe para continuar soberano. Bucetas são frágeis,irracionais, incompletas, sozinhas e errantes inclusive precisam ser corrigidas pelo Falo ereto mostrando sempre que o pau supremo deve ser seu norte. Bucetas transgressoras são assim porque não encontraram o verdadeiro falo que lhes converterá e lhes convencerá da justiça e lhes trará de volta ao centro da racionalidade e do juízo.

Inclusive quando se tenta fugir do jeito falocentrado de mundo se sente inadequado pois o mundo ensina que há corpos verdadeiros e outros tabajara. Ou seja, não há como escapar do falo que inclusive estabelece a “verdade” cis ou trans.

Oh falo verdadeiro quem nos livrará de teus poderosos grilhões?

Fonte da imagem: Google imagens/Vírgula [UOL]