A menina e o pião - Mariana Jardim

Furacão de madeira

Até Ontem, ela me deu a cordinha do pião
E eu coloquei pra rodar
Rodou, rodou, rodopiou
E não mais travou
Olha como fura o chão 
Olha como dança e balança
Tornado de entrelaçar mãos
Minha vida em espiral
Arrebentando as rédeas de coração

Ó, mas veja só o Hoje
Que ultraje, que quiprocó!
Enquanto o pião finalmente quase girava
Livre, macio e veloz
Os dois a sós
O mundo, esse macaco de imitações
Aliado íntimo do meu azar
Ele que fez questão de parar de girar!

Ela nunca esteve tonta
Tampouco zonza
Muito menos sonsa
Numa diferença inercial de mim
A Pangeia dos sentimentos e noções
Em terremotos tão afiados e não-afins

E da corda, finalmente,
Numa frêmita tensão
Puxar de suas esguias mãos
Fazendo cócegas na repetição
Só se ouviu um

a r r e b e n t a r

Para: pião