E se, naquela curva eu tivesse ido para a direita?

Tenho certeza que, pelo menos em algum momento da sua vida, você já parou para pensar “e se?”…

E se, eu tivesse seguido uma outra profissão?

E se, eu tivesse ido para outro bar?

E se, eu não tivesse nascido em outra parte do mundo?

E se, naquela esquina eu tivesse ido para a direita ao invés de optar pela estrada da esquerda?

Cada passo, cada escolha, cada detalhe, por menor que possa parecer, ele influenciou para que você hoje esteja exatamente onde está…com as pessoas que tem ao seu redor…na vida que você leva atualmente.

Parece louco pensar que um simples detalhe poderia ter modificado toda sua vida…mas é a mais pura verdade!

A vida é feita de escolhas, e a cada escolha, há ao menos uma renúncia. As vezes, nossas escolhas são boas, outras vezes parecem ter sido pensadas as 3 horas da madrugada durante um porre épico, ou seja, nada de bom pode sair disso.

É bem verdade que as vezes nossas escolhas nos levam a lugares dolorosos…mas a beleza da vida está justamente aí, em seguir no caminho escuro e incerto…não há garantias, não há retorno, não há “test drive”…é preciso escolher, se jogar no desconhecido, e aí sofrer as consequências…

Talvez a graça não está em fazer as escolhas certas, mas sim, aprender a caminhar sob as pedras pontiagudas que encontramos no percurso. Afinal, é assim que vamos aprimorando nossa caminhada.

Independente das escolhas e dos resultados, não há paz maior do que se responsabilizar por todas elas. Sem olhar para trás, sem desejar ter escolhido outro caminho…apenas aceitando, agradecendo e seguindo rumo aos próximos passos.

E assim a vida segue…

E eu, sigo grata por cada passo que dei, afinal, foram eles — tortos, ou não — que me trouxeram onde estou nesse momento!