Mulher nenhuma deve baixar a cabeça

A sensação de imponência dominou por completo cada partizinha do seu corpo frágil. Ai é que se enganam, por pensarem ser frágil aquela pequena garota, que berrava pro mundo seu pensar, com força inigualável.

Mas naquela manhã ela se mostrou frágil ao levar uma surra do machismo. Perdeu voz diante da brutalidade de palavras jorradas por bocas imundas.

Essa pequena garota sou eu. Nesta manhã presenciei mais um dos típicos atos machistas da nossa sociedade e me senti tão agredida quanto aquela jovem, que por usar um short da sua preferência foi tratada de forma podre por seres que não apresentam o mínimo de educação ou respeito. Não pense apenas em homens, aquela garota foi julgada por todos que ali passavam. ATÉ MESMO POR MULHERES QUE PASSAM PELO QUE ELA PASSOU.

E ver aquela garota abaixar a cabeça para aquelas pessoas me deixou imponente. Participando da cena, eram 7 ou 10 homens, agindo como cachorros sedentos por carne; e uma garota indefesa. Não importa a sua roupa, ou a droga do jeito que ela se portava

Ela é mulher.

Do mesmo jeito que sua mãe, sua avó, sua esposa, filha, sobrinha, neta… do mesmo jeito que a primeira garota que você se apaixonou no colegial. E nós, mulheres, não somos obrigadas a ouvir o que você pensa do nosso corpo ou o que quer fazer conosco na cama.

Eu sou mulher, mando no meu corpo e no meu guarda roupa, se você se acha no direito de me julgar, senta aqui e vamos conversar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.