Nova categoria de homens: modernachos

(Esse texto parece um pouco esquisito, feminista, mas sei lá, a intenção não é essa, até porque eu não sou hipócrita, e tenho pensamentos mundanos sobre divisões masculinas e femininas, então não me enquadro nem em machista e nem feminista).

Pode parecer papo de pseudo frustrada, de trintona recém solteira com um pouco de magoa, pode ser, mas na verdade percebi que existe uma nova categoria de homem: os machistas disfarçados de modernos… Quem são? O que fazem? Onde vivem? O que comem? São eles multi-profissões, geralmente possuem uma carreira, mesmo que traumática, ligada a um ramo mais criativo, fotógrafos, arquitetos, diretores de arte, publicitários em geral, mas também são advogados, administradores…

Como vivem? Gostam de cozinhar, sabem servir um bom drink, gostam de receber amigos em suas casas bem decoradas com um ou outro objeto de design comprado em uma loja da Gabriel Monteiro da Silva. Gostam de música, possuem uma playlist com hits do momento, mas recheada de clássicos do rock, blues e jazz. Vivem em bandos, mais de 3, estão sempre em lugares descolados da cidade, são convidados para house parties, festas fechadas e estão taggeados todo final de semana em instagrams alheios.

Eles são bons de conversa, entendem as mulheres, ótimos amigos, solícitos, buscam cuidar de alguma maneira quem está ao seu redor. Bebem de quinta a domingo, mas nunca passam do ponto, se passam sabem se controlar muito bem, são racionais. Eles tem um lado sensível, aparentemente entendem melhor o universo feminino, até… até eles começarem a namorar com você.

Eles viram Gremlins depois d’agua. O que admiravam em você, enquanto saiam no final de semana, passam a escalonar no terror do universo masculino. Antes, estava liberado o uso e conversa com o sexo oposto, depois, parece que seus olhos estalam a ponto de conseguirem ver todas as suas mensagens de whats app, enquanto eles, eles podem continuar seus likes no Tinder, Crushs no Happn e seguir perfis de peladinhas no instagram. E você? Se você quiser trocar uma ideia com um amigo, você esta traindo-o e ele pode te colocar de castigo. Sim, eles fazem isso. Te ignoram por 3 dias como se fossem os donos da verdade, ou o homem das cavernas, caso você não tivesse buscado a fruta correta na selva.

Eles são grossos, criam intimidade e viram vozes fortes e imponentes. Brigam. Te chamam de chata quando esta de tpm e de fresca se corta seu dedo na faca ou queima sua mão na frigideira. Eles param de te elogiar quando sentem que você esta um degrau acima do sucesso deles, e o pior, se sentem cada vez mais inseguros com seu crescimento como ser humano ou profissional. Você pode ter algo, mas que ele sempre tenha mais que você. Sua carreira pode ser sólida, mas se ele estiver sem emprego, sua vida vira um caos e ele vive em depressão, e coloca na cabeça que perdeu a virilidade por você pagar um jantar.

Se ofendem se você não liga para os mimimis deles e ficam azedos se você não conseguir cozinhar direito um macarrão. Eles se pintam de modernos, mas querem o controle dos anos 50. Tem bom humor com todos, se mostram pessoas super de boa, mas na vida a dois quer controlar com o que você gasta seu dinheiro (mesmo que cada um more em sua casa, e você (e nem ele) não deva satisfação dos centavos que você usa no seu cabelo ou guarda roupa). Eles não poupam palavras xulas na hora de te colocar para baixo, usam de seus traumas para te ferir. Eles existem, e vivem em grande quantidade espalhados por ai.

O grande problema dos machistas disfarçados de modernos é que ao invés deles admirarem a mulher que tem ao lado, eles competem. Querem ser melhores, querem e pensam que são os machos-alfa. Falam de casamento, filhos, família, mas não conseguem segurar um porre seu ou uma bebedeira de palhaçada, pois sentem vergonha do seu excesso de foda-se para a sociedade. Eles ainda pensam em puxar seus cabelos e levar embora para casa, como premio no final da noite. Eles se julgam lúcidos na loucura deles, mas em qualquer discussão, te chamam de louca por pura falta de argumento.

Querem dividir a conta, mas não querem dividir a igualdade da vida. Querem sair sozinhos, desde que você não faça o mesmo e fique em casa vendo netflix (mas não pode se antecipar na série, hein?). Você deve estar ai pensando, nossa Ana, que exagero.. E de verdade? Isso aconteceu comigo e com algumas amigas da mesma geração, não é drama de leonina. Não foi só comigo que tirei nas cartas o machista do século XXI duas vezes, tem uma porção de histórias semelhantes. Tem a história do “tira o batom vermelho”, que também se enquadra nesse perfil, um relacionamento machista e abusivo. Então minha cara, assim como há um cardume dessa gangue, há também os anti-essa-gangue. Vamos nessa, que uma hora pinta, o encaixe certo para essa geração problemática.

Like what you read? Give Ana Albanez a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.