Você

Quantas palavras dentre todas elas eu te descreveria? Quantas sensações dentre meus sentimentos eu te demonstraria? Dos 435 mil verbetes qual deles eu poderia dizer sobre o que vivemos ou o que vamos viver? Não há. Não há um mundo de palavras para descrever tudo isso que nos cerca. Não há dizeres que traduzem a nossa realidade. Não há uma única verdade para dissertar nossa história. Não existirá uma verdade para nossa narratória. Apenas haverá nossos momentos, apenas haverá palavras supérfluas para descrever aos amigos íntimos o que nos rodeia a felicidade, mas jamais conseguiremos descrever o que de fato é nossa realidade.

Anos, muitos anos se passaram, você não passava de um amigo que eu categorizava na lista dos amigos, daqueles amigos para vida toda, sem nenhuma intensão. Mas você foi lá e se fez mudar de categoria. Embora eu nunca houvesse reparado, você estava mais presente, muito mais presente d'um qualquer outro ausente. Seria em um comentário, seria uma notícia, seria em uma fofoca, seria em qualquer prosa boba, que te fizesse presente, nesse mundo de assunto, neste mundo de turbilhão.

Eis que você surge, naquela despretensão pretensiosa. Transformou coisas banais, em importância. Me devolveu o sorriso. Me transformou rapidamente em mulher. Numa mulher única, segura, e acima de tudo saudosa sobre você. Saudosa sobre sua voz, sobre seus trejeitos, seus momentos, sua respiração; saudosa sobre qualquer momento ao seu lado, dentre essas 504 horas que vivemos nessa imensidão de sentimentos, tormentos, saudades, e até mesmo dores de nos manter minutos, segundos, afastados, só nós sabemos, a dificuldade de vivermos isso; embora saibamos, e planejamos, que ele será passageiro; mas fica aqui, aquela sensação de vazio. Não internamente, pois dentro de mim, você ocupa a imensidão, mas no tempo, que sinto que qualquer segundo longe de você, seria como se eu estivesse perdendo a oportunidade de te ter mais profundo. Porém, quando respiro, pisco os olhos, e me deparo com a realidade, sei que este momento, contempla todo nosso futuro, e me faz acreditar a seguir o melhor e a busca no dia seguinte, nosso novo encontro, nosso novo dia juntos, que certamente fará parte de nossa eternidade. Conto os novos segundos para te ter; contos os meses para concretizar nossos planos, e eu sei, e tenho certeza, da qual eu nunca tive, que viveremos juntos nossos eus, nossos meus, nossos seus.

É imensamente confortável saber que você está na mesma sintonia, não tenho problema algum em saber que posso mudar minha vida, minha rotina para viver ao seu lado uma nova história, a nossa história. Com nossos princípios, nossos meios e nossos fins, que espero sempre serem recomeços; pois serão deles que iremos viver sempre mais. Sempre nossos dias serão fortalezas, por pensarmos em nossos próximos dias, nossa nova história diária, nosso novo momento ao amanhecer, nosso novo momento ao anoitecer; quero sentir ao seu lado todas as novidades que as horas do dia puderem nos dar. Quero te ter ao meu lado em qualquer momento que precisar, desejar, respirar. Quero você. Em todos os próximos segundos. Quero você nos próximos capítulos, dessa minha dissertativa de eu, dessa minha vida, que agora sou muito mais seu, sou seu eu, do que eu, somos seus, somos meus, somos sós, somos somente nós, eu, você, em nossos nós.

Like what you read? Give Ana Albanez a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.