A TEXTURA NO DESIGN: O DETALHE COMO INSTRUMENTO NA COMPREENSÃO DA NATUREZA DAS COISAS

INTRODUÇÃO
No trabalho a seguir, iremos apresentar a textura com base nas técnicas estudadas durante o semestre na disciplina de Introdução à computação gráfica, ministrada pelo professor Renan Ferreira.
Falaremos neste trabalho, sobre a história da textura, e como ela se tornou presente nos meios das obras de arte, bem como a origem da sua palavra e o seu significado. Contaremos com referências que foram fundamentais para a compreensão desta técnica.
Será exposto neste trabalho várias formas de como podemos aplicar a textura no nosso dia a dia, e relacionar com obras ou adventos naturais que encontramos ao nosso redor.
E para finalizar criamos uma composição com intuito de mostrar uma das formas de se utilizar a textura, através de uma peça publicitária.
 O objetivo deste trabalho, é que o leitor possa compreender o que é a textura em si, e como é feita a aplicação desta técnica no nosso convívio.

2. HISTÓRIA
A textura é o elemento visual que nos demonstra a qualidade tátil das superfícies dos objetos. Existem vários tipos de textura, ela pode ser enrugada, ondulada, granulada, acetinada, aveludada, áspera ou lisa. 
A textura se tornou presente dentro das obras de arte, com o surgimento da tinta a base de óleo de linhaça, a mesma era aplicada nas pinturas. Podemos dividir as texturas em óticas e táteis. As texturas óticas possuem apenas qualidades visuais, é uma simulação das texturas táteis. Por exemplo: Uma pintura que mostre o efeito da maciez de um pelo de um gato. Já as texturas táteis possuem tanto qualidades visuais quanto táteis, é possível ver a textura e tocá-la. 
Também podemos dividir as texturas em naturais e não naturais. A primeira classificação de texturas que podemos citar são as texturas naturais, que são as texturas encontradas na natureza. Dentro das texturas naturais podemos classificar dois fatores que definem o tipo de textura, são eles o fator endógeno e o exógeno. 
O endógeno é quando a textura de determinado elemento se dá por conta da própria natureza material, (Imagens 1 e 2) ou seja, elementos que são inerentes a sua composição química ou estrutural e podem ocorrer variações dependendo da forma de como percebemos a sua superfície visível. 
O outro fator que pode produzir texturas é exógeno, é quando determinado material da natureza tem sua superfície alterada por conta de fatores externos, (Imagem 3) como por exemplo, a erosão que os ventos causam, ou o desgaste com o tempo. 
Com relação à forma de apresentação da textura ela pode ser tanto geométrica quanto orgânica.

Imagem 1- Ágata. 
Fonte: desciclopédia.org

Imagem 2 — Ágata Geodo. Fonte: www.pedradacura.com.br

Imagem 3 — Arenito erosão eólica na onda Coyote Butte Arizona. Fonte: http://whereandwander.com

3. ETIMOLOGIA DA PALAVRA TEXTURA

Para entendermos o significado real de cada palavra, devemos buscar, além do seu significado, a sua origem. De acordo com o Dicionário Michaelis, a palavra etimologia tem os seguintes significados: “Pesquisa e estudo da origem, da formação e da evolução de uma palavra de determinada língua”, “Origem de uma palavra, seja na sua forma mais antiga, seja em alguma fase de sua evolução”. Portanto, antes de falarmos sobre a textura, precisamos entender a sua origem e o seu significado.
Segundo o site Origem da Palavra, que traz a etimologia de várias palavras, José Luís Guimarães mostra que a palavra textura deriva do Latim textura, que quer dizer “estrutura, teia”, de TEXERE, “tecer”. e também deriva do Indo-Europeu “TEK”-, que significa “fazer”.
Portanto, podemos entender que a palavra textura tem um significado de construção de estrutura, como o tecimento de uma teia.

4. TEXTURA E SUAS APLICAÇÕES

As texturas estão presentes no nosso dia-a-dia, uma arvore com o seu tronco descascado têm um certo tipo de textura. Com a industrialização passou-se a utilizar as texturas para as mais diversas atividades. 
Como comentado anteriormente existem além das texturas naturais as não naturais, que é aquela que pode ser produzida pelo homem, como por exemplo, os tecidos (Imagem 4), quando produzidos eles são o resultado de vários fios entrelaçados em uma trama de uma forma homogênea. Nesse exemplo, podemos perceber que a textura é utilizada como um meio comercial. Outro exemplo de fabricação de textura humana são cestos (Imagem 5), que podem ser produzidos com palhas ou outras fibras vegetais e cada um deles irá alcançar uma textura diferente, já esse outro exemplo pode ser tanto artístico quanto comercial. A seguir veremos vários exemplos das possíveis aplicações das texturas.
Podemos encontrar os mais variados tipos de textura dentro das artes gráficas, das artes plásticas e da Comunicação Visual.

Imagem 4. — Tecidos. Fonte:

Imagem 5. — Cestos. Fonte

4.1. APLICAÇÃO COMERCIAL
 
Quando falamos em textura, certamente nos vem à mente uma pintura de parede. Nos últimos anos a textura ficou conhecida por pinturas com efeitos texturizados, como grafiato, gotelé, entre outros. Para esse tipo de pintura, são utilizados pincéis e rolos de pintura diferenciados (Imagens 6 e 7). Essa técnica ainda é muito comercializada. 
Existe um produto chamado Formica (Imagem 8), que seria um revestimento que faz imitação de materiais como, por exemplo, o mármore, ou madeiras. Esses revestimentos são utilizados em móveis e arquitetura e eles imitam a textura dos materiais de uma forma quase perfeita. 
Outra forma de simulação de textura é a douração (Imagem 9), ela é utilizada quando se quer obter uma textura de ouro, é aplicada uma fina lâmina de ouro sobre uma superfície, como madeira ou até mesmo alvenaria. Simulando assim que aquele material seria ouro.
Outro processo conhecido para a criação de textura é a galvanoplastia, que consiste em uma superfície receber um banho de partículas metálicas e, através de condução elétrica, essas partículas se agregam à superfície.
Existe também o processo de adesivação ou envelopamento (Imagem 10), que nada mais é do que a aplicação de uma imagem sobre uma superfície de plástico ou adesivo que mais tarde pode ser colada em outra superfície, como carros, paredes etc.
Além de todos esses processos já descritos, existem muitos outros como a pátina e a marmorização.

Imagem 6 — Pincel utilizado para fazer textura em parede. Fonte:www.auladearte.com.

Imagem 7 — Pincel tipo carimbo. Fonte: www.auladearte.com.br

Imagem 8 — Fórmica, revestimento.Fonte:www.auladearte.com

Imagem 9 — Técnica de douração. Fonte: www.auladearte.com

Imagem 10- Técnica de adesivação. Fonte: www.auladearte.com

4.2. APLICAÇÃO ARTÍSTICA

A arte é uma das maiores utilizadoras de textura. Grandes pintores usam dessa técnica para dar uma maior realidade às suas obras.
Nas artes gráficas as texturas podem ser criadas através de desenhos, fotografia, impressões, pinturas, etc. Com o surgimento das tintas a base de óleo, a textura na arte ganhou uma impressão extremamente realista. Além, é claro, das diferentes superfícies em que uma obra pode ser construída. Uma das obras de arte mais conhecidas pela utilização de textura é “O quarto” de Van Gogh (Figuras 8 e 9).
Já dentro das artes plásticas, existem várias técnicas para criar a ilusão de textura tátil. Uma técnica bem conhecida é o Frotagem, (Imagem 11) que pode ser obtida colocando uma folha de papel em cima de uma superfície que contenha alguma textura e esfregar um lápis colorido ou giz de cera, a textura da superfície embaixo do papel ficará visível no papel conforme for esfregando o lápis.

Imagem 9: “O quarto” — Vincent van Gogh — óleo sobre tela — 1888. Fonte: www.auladearte.com

Imagem 10 — Ampliação da imagem 9.

Imagem 11 — Técnica de Frotagem. Fonte: artesurpresabrasil.com/blogspot.com.br

5. COMPOSIÇÃO
Criamos uma composição com intuito de demonstrar uma forma de utilizarmos a textura no meio comercial. Utilizamos das cores para fazermos a textura da nossa peça. 
 Nossa peça se trata de um Outdoor com uma propaganda de um Protetor Solar, criamos a marca “ProteSun” e a nossa ideia com o desenho exposto na propaganda, é de passar que um solo sofre consequências com excesso de sol e a seca, assim como a nossa pele também sofre consequências por falta de hidratação e proteção. Assim faríamos uma comparação com a pele das pessoas e o solo seco e rachado, caso as pessoas não usassem um produto para hidratação e proteção de sua pele a mesma ficaria com aspecto seco e rachado como a de um solo.
A intenção da nossa peça é influenciar o consumidor através da imagem, para que ele perceba que se faz necessário o uso de nosso produto para manter sempre uma pele saudável. Que assim como o solo precisa de agua para se manter hidratado, para não rachar, a nossa pele precisa de um bom protetor solar que seja hidratante, para protege-la do sol. 
A nossa peça pode ser vinculada tanto no verão quanto no inverno, pois nossa pele sofre alterações nas duas estações do ano e precisa de hidratação e proteção sempre. Por conta de ser um protetor solar hidratante o mesmo pode ser usado no inverno para proteger a nossa pele dos ventos gelados.

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

DONDIS, A. Dondis. Sintaxe da Linguagem Visual. Livraria Martins Fontes Editora. São Paulo.1973.
WERNER, João. A textura da Comunicação Visual. Disponível em <http://www.auladearte.com.br/lingg_visual/textura.htm#axzz4fvVwi7CP
> Acesso em 03/05/2017.
IMBROISIO, Margaret. Textura Gráfica e Frotagge. Disponível em <https://www.historiadasartes.com/sala-dos-professores/textura-grafica-e-frottage/> Acesso em 03/05/2017.
GUIMARAES, José Luiz. Lista de Palavras. Disponível em <http://origemdapalavra.com.br/site/palavras/textura/> Acesso em 03/05/2017> Acesso em 03/05/2017.
VIARO, Marcio Eduardo. Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa: Etimologia da palavra Textura. Disponível em <http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=textura> Acesso em: 03/05/2017.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.