Caos. Arte. Catarse.

A arte é catártica por me tirar daqui e me levar pra longe, pra onde? Silêncio. A arte grita meu nome e traz a paz que havia fugido. Eu busquei tanto o sentido, e ele estava nas cores e no hoje.

Eu sou imensidão.

Respiro e pertenço a mim novamente, feito urgência em ser eu vou sendo mais e mais. A gente tem uma mania absurda de viver pro depois, o hoje se jogou na minha frente e só assim eu pude vê-lo, o vi na arte que vomitou verdade das suas entranhas. Me fez ver e sentir. E aqui, agora, eu sou uma pausa compassada, tudo que premeditei se foi no instante em que o descontrole me pareceu sanidade. Por dentro sopros, olhar curioso de quem quer devorar o mundo, mas não há pressa. Cada s e g u n d o é tudo, cada hora é uma eternidade e os momentos merecem minha entrega máxima. Eu desejo que você viva tudo, intensidade é sobre presença.