só mais um grito abafado por socorro

você não é o culpado pelas minhas crises. você nunca foi essas coisas ruins. eu sou a (minha) coisa ruim. eu sou a pessoa que se martiriza e que as vezes só quer ir embora.

e, nesse exato momento, eu quero ir embora.

para não causar efeitos errôneos: eu quero ir embora de mim. a culpa não é sua, nem do meu vizinho, nem dá minha avó e nem daquela menina que bateu a porta e gritou comigo. atualmente, eu estou batendo as portas e gritando (comigo).

logo eu, que sempre tive medo de pessoas me deixando, quero me deixar. eu não sei o que tem acontecido e eu estou segurando todas essas lágrimas desde cedo.

insuficiente. insuficiente. insuficiente.

eu vou passar o dia todo sozinha e eu não quero ficar sozinha porque sempre que isso acontece, ele chega. ele me bate e ele grita comigo e ele me sufoca. ele me ensurdece e não me deixa falar. ele não me deixa pensar. eu estou cansada.

eu quero ir embora.

me desculpa, mas hoje, às 13:24, tudo parece estar dando errado. eu estou dando errado. eu estou errada.

tira isso de mim.

por favor.

me desculpa.