Somos efêmeros. Seja na primeira pessoa do singular ou plural, a efemeridade não vai nos deixar em paz. Vamos passar logo. Assim como qualquer filme chato que passa na sessão da tarde de segunda. Vamos passar logo. Seja na primeira pessoa do singular ou plural. E, enquanto você está aqui comigo, enquanto não passou ainda, eu vou te aproveitar. Vou te visitar pois cada pessoa é um mundo e como é bom poder, por um momento que seja, visitar meu mundo preferido utilizando de apenas alguns lentos passos. E depois disso, como seres efêmeros que somos, passaremos. Encontraremos novos mundos e neles, faremos nossa passagem aproveitando cada parte boa e talvez, quem sabe, concertando cada pequeno detalhe que precise de algum reparo. Cada pessoa é um mundo e quando a gente passa por lá, deixamos cravadas nossas bandeiras. Deixamos pra trás algumas certezas e memórias felizes, outras nem tanto. Cada pessoa é um mundo e eu espero que você tenha guardado a melhor parte de mim, como quem visita seu local preferido e lembra daquela viagem com felicidade nos olhos. Você passa por aqui, eu passo por aí, nós passamos. Seja na primeira pessoa do singular ou plural, vamos aproveitar nossos mundos, antes que a efemeridade exerça sua função.