A ascensão de uma bala

Oi.

Está sendo um dia difícil.

Levantei, tomei um copo de leite com nescau, vesti uma roupa (sim, não tomei banho) e saí de casa.

Pensei em te mandar uma mensagem de bom dia, mas acho que n é saudável fazer isso logo depois de um término.

Fui pra parada.

Lá tinha uma velhinha vendendo halls. Comprei dois de melancia. DROGA, lembrei que era seu favorito. Troquei um pelo de banana. DROGA, era muito ruim.

Fiquei com um de melancia e um de banana (que com certeza ia acabar estragado na minha bolsa).

Minha mãe ligou, falou que esqueci a toalha em cima da cama e que não era minhas negâ. Desliguei.

Verifiquei o whatsapp, nenhuma mensagem, somente o seu “a gente precisa conversar” e o meu “ ok” de dois dias atrás.

Não que você seja o vilão por terminar, nós dois nos consumimos.

Entramos em uma saga de fazer mal ao outro, sem perceber.

Os “eu te amo” cada vez mais decorados, tão automáticos que era só clicar nas palavras-chave que apareciam no teclado.

Minha mãe ligou de novo. TU DESLIGOU NA MINHA CARA?

Desci do ônibus. 30 minutos de esporro depois olho o facebook. Sério que você já trocou seu status? E a sua capa, aquela foto tão linda de nós dois, aquela que eu revelei!

Não tem problema mudar, mas colocar público? É sério isso?

Caramba você não presta, eu que devia ter terminado isso.

Eu sempre me doei mais, lembrei todas as datas de aniversário.

SABE AQUELE SAPATO QUE VOCÊ ME DEU? SÓ USEI UMA VEZ, POR QUE DEU CALO.

Eu to triste. Decepcionada. Porra um ônibus jogou água em mim.

Que melancólico, encharcada, exausta, com um halls de banana. O que eu faço com o de melancia?

Cheguei ao trabalho, você tava na sala do café.

Nossas mesas uma do lado da outra… Você que tinha pedido pro Nelson trocar de lugar.

Agora ele fica do lado do banheiro masculino e você aqui perto de mim.

Perto da mulher que você disse amar por 3 anos e agora n aguenta ter na sua capa do facebook.

E olha, falando em facebook, não é que a piranha da Carla já comentou na sua foto? TENHO CERTEZA QUE VOCÊ SABE O NÚMERO QUE ELA CALÇA.

Nunca falei, mas detesto sabor de melancia. Até halls de banana é melhor.

Quer saber? Esse é não é mais apenas “um halls de banana”, a partir de agora ele vai ser O Halls de Banana.

Vai me lembrar como eu me senti só quando você viajou, passou 3 meses fora e quando voltou veio com essa de “ a gente precisa conversar”. Vai me lembrar o quanto você e a Carla são perfeitos um pro outro. O quanto você não presta.

Coloquei aquele halls de melancia na sua gaveta, pode abrir.

Quanto a mim, estarei na mesa do Nelson, do lado do banheiro, com os cabelos encharcados, mudando meu status e terminando o meu pacote de Halls de Banana.

Like what you read? Give Ana a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.