A ansiedade voltou…mas ela algum dia vai embora?

Hoje acordei mal, não sei porquê mas acordei mal. Quando abri os olhos eu sabia que não seria um dia fácil, e não digo isso no modo pessimista e sim realista, não seria um dia bom e eu tinha consciência de que nada que eu fizesse mudaria isso.

Dei bom dia pra ansiedade e fomos tomar café, um silêncio abominável tomava conta do ambiente, logo eu que falo toda hora (quem me conhece sabe que não consigo ficar sem falar).

A gargante travou, uma angústia tomou conta de mim, parecia que qualquer palavra que eu tentasse falar eu iria começar a chorar. Mas eu não iria conseguir ficar em silencio o dia todo, talvez se eu tivesse sozinha sim, mas até para explicar pra quem convive comigo eu precisaria falar. E ainda tinha que lidar com o fato de que sábado é aniversário da minha mãe e eu ainda não tinha comprado nada. Eu não sei lidar com aniversários, fico ansiosa com o presente, se vou agradar e se vai ser um dia agradável pro aniversariante, e por motivos pessoais que não cabem explicar aqui eu desabei.

A pior sensação é você saber o que está errado, que toda aquela situação é ridícula e mesmo assim continuar chorando. Não adiantava respirar, mentalizar tudo o que o budismo me ensinou de não se apegar aos pensamentos ruins, que tudo é impermanente, que eu tinha poder de controlar o que tava sentindo. Nada disso funcionava, eu continuava chorando e não querendo sentir tudo aquilo.

Eu queria ser diferente, queria poder não ter essa enxurrada de pensamentos, queria poder sair do furacão quando eu quisesse, mas não consigo. Queria poder me preocupar com coisas banais e não transformá-las numa tempestade. Queria poder ver uma gota de chuva e não prever a chuva, ter a tranquilidade de pensar que apenas uma gota de chuva não significa que vai chover a noite toda.

Queria poder me olhar de fora, colocar minha mão sobre meu ombro e dizer: relaxa, vai doer agora, mas daqui a pouco passa.

Queria poder acreditar que tenho poder pra ignorar essa ansiedade que toma conta do meu corpo quando eu menos espero. Queria poder ter controle sobre ela, mas tudo parece besteira. Todos os mantras que eu internalizei não estão conseguindo me tirar desse mar de lágrimas. Nada consegue me tirar daqui.

Eu tentei ler, tentei trabalhar, tentei dormir, mas não passou. Eu tentei conversar, desabafei com as pessoas que eu confio e foi bom porque eu tenho pessoas que me ouvem de verdade, mas todo o amor do mundo não conseguiu me tirar disso. Eu tentei comer pra ver se o açúcar disfarçava o que eu tava sentindo, mas não funcionou. Ainda tá aqui, apertando minha garganta, me sufocando. Enquanto escrevo esse desabafo tento ao menos não chorar porque estou esgotada. Não tenho mais energia pra ser sugada, só queria poder pular esse dia, é egoísta e ridículo pensar isso, mas hoje eu só queria não lidar com isso. Queria mandar a ansiedade ir embora, mas ela tapa os ouvidos como criança birrenta. Só me resta esperar que ela vá embora, mas algum dia isso vai acontecer?